23 de maio de 2017 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mundo
Europa
18/03/2017 | 06h00
Turquia prevê nova “guerra religiosa”
O presidente turco voltou a denunciar vez um “novo nazismo” e acusou a Europa de voltar “aos dias anteriores à segunda guerra mundial”

Em meio ao conflito diplomático aberto entre a Turquia,a Alemanha e a Holanda, o ministro de Relações Exteriores turco, Mevlüt Cavusoglu, advertiu sobre a possibilidade de  “guerra religiosa” na Europa. 

Segundo a agência estatal de notícias turca Anadolu, ao mesmo tempo, o presidente turco, Recep Erdogan, voltou a denunciar vez um “novo nazismo” e acusou a Europa de voltar “aos dias anteriores à segunda guerra mundial”. As informações são da DPA.

Falando para seguidores na cidade de Sakaria, Erdogan criticou a decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia segundo a qual as empresas podem proibir, em determinadas circunstâncias, que suas empregadas usem o véu islâmico.

“Meus queridos irmãos, começou uma batalha entre a cruz e a meia lua (símbolo do Islã). Não pode haver outra explicação”, disse Erdogan. Além disso, ele acusou a Holanda pelo massacre de Srebrenica, na Bósnia. “Sua democracia é uma vergonha”, disse o presidente turco. El e ressaltou que a Holanda “pagará” por proibir seus ministros de realizar atos em território holandês.

“Ei, Rutte, teu partido venceu as eleições, mas deves saber que perdeste um amigo como a Turquia”, afirmou Erdogan. 

O chefe de governo da Holanda já havia rechaçado as acusações turcas, que qualificou de inaceitáveis e de uma “deplorável falsificação da história”. 

Do mesmo modo, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente da França, François Hollande, rechaçaram as acusações lançadas por membros do governo turco contra ambos os países.  (Agência Brasil) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)