16 de dezembro de 2017 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mundo
EUA
11/04/2017 | 09h00
Estados Unidos pressionam Venezuela a reconsiderar inabilitação de Capriles
EUA pressionaram governo de Nicolás Maduro para que 'reconsidere' a inabilitação de 15 anos para exercício de cargos públicos

Os Estados Unidos (EUA) pressionaram nessa segunda-feira (10) o governo de Nicolás Maduro para que "reconsidere" a inabilitação de 15 anos para o exercício de cargos públicos, imposta ao líder opositor Henrique Capriles, e para que a Venezuela convoque eleições "livres e justas". A informação é da Agência EFE.

"Os EUA veem com profunda preocupação as ações do governo venezuelano para impedir que Capriles - destacado membro democraticamente escolhido da oposição e ex-candidato presidencial - participe da vida pública do país durante 15 anos", diz comunicado do Departamento de Estado norte-americano.

A pasta liderada pelo secretário Rex Tillerson pede que Maduro "reconsidere a decisão de inabilitar Capriles", "restabeleça a ordem democrática" e convoque eleições "livres e justas" em "harmonia com os instrumentos internacionais".

No comunicado, o Departamento de Estado também citou os protestos dos últimos dias na Venezuela, pediu que o governo "respeite" o direito à manifestação e que os manifestantes se expressem de forma "não violenta".

"Exigimos aos manifestantes que se expressem de maneira não violenta e pedimos às forças de segurança do governo que protejam os protestos pacíficos", disse, na nota, o Departamento de Estado após os distúrbios ocorridos no território venezuelano.

"A liberdade de manifestação é um direito humano universal que as autoridades venezuelanas devem respeitar", acrescentou o comunicado. (Agência Brasil)

Foto: Freddy Zarco/ ABI (Fotos Públicas) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)