29 de maio de 2017 - segunta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Política
04/05/2017 | 06h00
Marconi autoriza concurso para contratação de 3 mil policiais
De acordo com o governador, os salários pagos à polícia de Goiás só perdem para os de Brasília, que é custeado pelo governo federal

Venceslau Pimentel

O governador Marconi Perillo (PSDB) anunciou ontem, na abertura do 1º Encontro Regional do Programa Goiás na Frente, no Ginásio de Esportes Lindolfo Lima, na Cidade Ocidental, Entorno Sul do Distrito Federal, que já autorizou a realização de concurso público para a contratação de mais três mil policiais, e garantiu que um grande contingente será deslocado para a Região do Entorno do DF.

Nós estamos enfrentando esse desafio de melhorar a segurança, sozinhos, sem ajuda do governo federal, que não coloca um centavo na segurança pública”, disse ele ontem na abertura do 1º Encontro Regional do Programa Goiás na Frente, no Ginásio de Esportes Lindolfo Lima, na Cidade Ocidental, Entorno Sul do Distrito Federal. De acordo com ele, os salários pagos à polícia de Goiás só perdem para os de Brasília, que é custeado pelo governo federal. “Em Goiás quem paga a polícia é só o Governo do Estado. Mesmo assim nós pagamos uma gratificação para os policiais que atuam no Entorno que acaba por praticamente igualar os salários da PM de Brasília”, lembrou.

Ele voltou a cobrar mais investimentos do governo federal na área de segurança pública nos estados e defende mais uma vez orçamento rubricado para esse setor, a exemplo da Educação e Saúde, por entender as dificuldades e angústias da população. “Nós estamos enfrentando esse desafio de melhorar a segurança, sozinhos, sem ajuda do governo federal, que não coloca um centavo na segurança pública”, disse ele ontem na abertura do 1º Encontro Regional do Programa Goiás na Frente, no Ginásio de Esportes Lindolfo Lima, na Cidade Ocidental, Entorno Sul do Distrito Federal. “Está mais do que na hora de os deputados apresentarem uma emenda constitucional para garantir dinheiro do governo federal também para as secretarias de segurança dos estados”, arrematou.

Desde 2015, Marconi vem defendendo que, em nome do desenvolvimento econômico e social do País, a União deve se colocar como parceira dos estados no custeio e desenvolvimento de políticas públicas de segurança pública. Para ele, o enfrentamento desse problema requer, necessariamente, que se institua uma política nacional.

A única forma de garantir recursos, na avaliação do governador, é tornar obrigatória a vinculação de receitas do Orçamento da União para  a Segurança Pública.  Somente dessa forma é que ele entende que haverá avanços no combate a criminalidade no país, assim como acontece na Educação e Saúde no País, graças à vinculação. O evento de ontem marcou o início oficial da aplicação dos R$ 9 bilhões em várias frentes de serviços em todos os municípios do Estado, que também contou com a presença do vice-governador, José Eliton (PSDB), que é o coordenador do programa. Prestigiaram o encontro os prefeitos de Cidade Ocidental, Fábio Corrêa; Valparaíso de Goiás, Pábio Mossoró; Novo Gama, Sônia Chaves; Santo Antônio do Descoberto, Adolpho Roberto; Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango; Luziânia, Cristóvão Tormin; Cristalina, Daniel Vaz; Abadiânia, José Aparecido Alves e Alexânia, Allysson Silva, além de secretários de Estado, deputados federais e estaduais.

Na avaliação dos prefeitos, o programa Goiás na Frente tem alcançado repercussão nacional, por ser o primeiro projeto de investimentos no país pós-crise. É por meio dele que o Governo do Estado planeja os investimentos e define estratégias, desenvolvido com recursos que são frutos do ajuste fiscal, racionalização dos gastos públicos e a venda de ativos. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)