19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Percentual
20/06/2018 | 06h00
Eliton sobe em pesquisa para o governo em 1,9 pontos
Tucano tem preferência de 24,1% dos eleitores entrevistados pelo Instituto Directa; o crescimento reflete ritmo intenso de visitas ao interior goiano

Rafael Oliveira*


A segunda rodada de pesquisa Directa/O Hoje/Jovem Pan para o governo de Goiás mostra que o governador José Eliton (PSDB) subiu 1,9 ponto percentual em relação à pesquisa passada, realizada em abril deste ano. O governador tem 24,1%, contra os 22,2% na anterior. No cenário onde o entrevistador estimula nomes para serem escolhidos, o líder da pesquisa para o governo, o pré-candidato Ronaldo Caiado (DEM), caiu 1,1 ponto na preferência dos eleitores em relação à pesquisa passada, onde ele tinha 35,7%. Agora ele pontuou 34,6%.

O pré-candidato do MDB, deputado federal Daniel Vilela, caiu 4,6 pontos. Em abril Daniel tinha 14,4% das intenções de voto e agora tem 9,8%. A pré-candidata do PT, Kátia Maria, subiu de 1,2% para 3,2%.  O pré-candidato do Psol, Weslei Garcia, pontuou 1,6%. Na pesquisa de abril, Garcia ainda não era pré-candidato. Os votos nulos alcançaram 12,6% e não sabem dizer, 14,1%.

O crescimento de José Eliton reflete o ritmo intenso de realizações e de visitas ao interior que o governador imprimiu neste ano de 2018. Eliton realizou 109 viagens até o momento, segundo sua assessoria. 

Os números do Directa reforçam a tendência de crescimento contínuo do governador. O levantamento espontâneo mostra Eliton com 7,5% das intenções de voto e Caiado com 12,7%. O terceiro colocado  é o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), com 6,7%, que não pode disputar o governo e vai apoiar a reeleição de Eliton, e deve transferir os votos quase que integralmente. Figuram ainda na espontânea Daniel Vilela (2,8%), o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (1,8%) e o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (1,6%). Outros nomes citados somam 2,5%, nulos alcançam 9,8 e 54,6% não souberam dizer.


Rejeição

A rejeição aos candidatos também é ponto favorável a Eliton, que aparece com 9,8%. Caiado, seu principal adversário, lidera no quesito com 12,7%, seguido de Daniel, que tem 10,5%. Weslei alcança 7,6% e Kátia, 4,2%. Não rejeitam ninguém 32,1%, rejeitam a todos 8,5% e 14,6% não sabem dizer.


Senado

A pesquisa também reforça o favoritismo do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) na disputa pelo Senado. O tucano, que recentemente assumiu a coordenação da campanha do candidato presidencial Geraldo Alckmin (SP), aparece com 24,6% das intenções de voto no levantamento estimulado, percentual muito superior ao da segunda colocada, a senadora Lúcia Vânia (PSB), que obteve 13,5% das menções. 

Na sequência vêm o vereador de Goiânia, Jorge Kajuru (PRP), com 12,1%; o empresário Vanderlan Cardoso (PP), com 9,8%; o ex-senador Demóstenes Torres (PTB), com 8,7%; o presidente estadual do PSD, Vilmar Rocha, com 3,8%; o deputado federal Pedro Chaves (PMDB), com 1,5%; e o senador Wilder Morais (DEM), com 1,5%. Nulos somam 12,7% e 11,7% não souberam dizer em quem votariam.

No levantamento espontâneo, Marconi mantém-se na liderança com 10,3% dos votos, seguido de Kajuru (7,5%), Lúcia (6,4%), Demóstenes (4,2%), Vanderlan (1,1%), Maguito Vilela (1,1%), Pedro Chaves (0,9%) e outros (0,9%). Nenhum somam 11,5% e não sabem dizer, 56,1% dos 1.005 consultados.

O Directa quis também saber a intenção para o segundo voto, já que nas eleições deste ano o eleitor deverá votar em dois nomes para o Senado. Neste quesito, o segundo voto que vai para Lúcia Vânia atinge 9,8% dos entrevistados; Kajuru teve 7,6%; Demóstenes, 6,8%; Vanderlan, 6.5%; Marconi, 3,4%; Vilmar, 3,2%; Pedro Chaves,2,6%; e Wilder, 1,7%. Nulo alcança 25,6% e não sabem dizer, 32,8%.


Rejeição ao Senado

A pesquisa abordou em quem os eleitores entrevistados não votariam de jeito nenhum para a vaga ao Senado. Na resposta estimulada, o ex-senador Demóstenes Torres, cassado pelo plenário da Casa em 2012 por envolvimento com o bicheiro Carlos Cachoeira, lidera com 7,6%. O ex-governador Marconi Perillo aparece em segundo com 6,50%, seguido pelo senador democrata Wilder Morais (5,4%), Pedro Chaves (4,3%), Jorge Kajuru (3,9%), Vanderlan Cardoso (2,8%), Vilmar Rocha (2,3%), Lúcia Vânia (1,8%). Os entrevistados que não rejeitam ninguém somou 33,40% dos votos, os que rejeitam todos os citados 14,30% e não souberam dizer 17,70%.


Avaliação do governo 

O levantamento Directa/O Hoje/Jovem Pan aponta que José Eliton, em pouco mais de dois meses à frente do governo de Goiás, já conta com a avaliação positiva de 49,6% do eleitorado consultado na pesquisa. Segundo os números, 2,6% consideram a gestão administrativa excelente; 30,3% a avaliam como boa; 16,7% entendem como regular/positiva; e 15,5% como regular/negativa. Consideram o governo ruim 15,5% e péssimo, 9,8%; 10,5% não sabem dizer.


Metodologia

A pesquisa Directa foi  registrada na Justiça Eleitoral em 12 de junho de 2018 sob o protocolo GO-05434/2018. A coleta dos dados ocorreu entre os dias 13 e 17 de junho, com 1.005 eleitores distribuídos em 60 municípios de todas as regiões do Estado. A margem de erro é de 3,9 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de confiança é de 95%. (*Especial para O Hoje) 

Professores vão receber reajuste de piso nacional em agosto 

O governador José Eliton (PSDB) anunciou ontem, em audiência com integrantes do Sintego, que o Governo de Goiás vai cumprir o reajuste do piso nacional dos professores a partir da folha de agosto, beneficiando 20.170 educadores da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte. Atualmente o governo de Goiás já paga salários base (para professores  PI,  PII, PIIi e PIV 40 horas) acima do piso nacional de 2018 que é de R$ 2.455,35. 

Durante o lançamento do +Educação, em abril, o governador já havia garantido o pagamento do Piso Nacional de Professores para este ano. Não ocasião, o governador José Eliton assegurou: “Piso não se discute, se paga. Nós devemos valorizar o professor e o governo do Estado de Goiás vai pagar o piso da educação”. Hoje, ao anunciar o reajuste em cumprimento ao piso nacional do professor, ele se disse "sensível às causas dos professores" e falou do esforço que tem feito para manter as contas em dia. "Trabalhamos com muita correção, e chegamos a um bom termo", referindo-se ao diálogo e às negociações com a categoria da educação. 

Na audiência de ontem, o governador José Eliton e o secretário da Secretaria Estadual de Educação, Marcos das Neves, anunciaram que o reajuste de 6,81 % será retroativo ao mês de janeiro de 2018 para professores dos níveis I e II; e retroativo a julho de 2018 para os de níveis III e IV. Nos dois casos, os valores resultantes da diferença serão pagos, de forma parcelada, até o mês de dezembro.

“Se hoje eu sou o governador do estado eu devo a educação”, disse o governador, destacando que estudou em escola pública. Em 2017, foram concedidos reajustes de 64% para efetivos, 21% para servidores administrativos e de 34% para professores temporários. 

"O pagamento  reajuste do piso salarial é  fundamental para promover equidade e resolver uma distorção histórica entre os salários dos professores e de outras categorias", disse o secretário Marcos das Neves .

"Agora os professores irão, de fato, ter o reajuste do piso salarial. Isso é uma grande vitória", afirma a representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação, Iêda Leal. 

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação em Goiás (Sintego), Bia de Lima, disse que o governador foi sensível ao atender a demanda da educação. Ele agradeceu o apoio do Governador e a abertura para o diálogo com o sindicato iniciada pela ex-secretária Raquel Teixeira, continuada por Marcos das Neves. 

Bia entende que cumprir a Lei do Piso é crucial para a valorização da carreira da educação. "O Piso significa a valorização do professor e traz estímulos para o aprimoramento profissional”, concordou a professora Maria Valdirene Moreira Nascimento, da equipe de Tutoria da Seduce.


Valorização permanente

Cumprir o piso nacional de professores é parte fundamental da política do governo de Goiás de valorização constante dos servidores da Educação. Ao longo dos últimos anos, a Seduce ampliou seus programas pedagógicos e também o investimento no plano de carreira dos professores. Como resultado, hoje praticamente 100% dos professores têm curso superior, índice que era de 27% em 1999.

Em junho de 2017, o governo de Goiás implantou um pacote de melhorias e benefícios considerado marco histórico para a rede pública estadual, garantindo 7,64% de reajuste salarial para efetivos; 21% de reajuste salarial para servidores administrativos; 34% de reajuste salarial para professores temporários; gratificação de R$ 2 mil aos professores de escolas de tempo integral; e criação de auxílio-alimentação de R$ 500 para todos os servidores.

Dentro do programa Goiás na Frente, o governador José Eliton destinou R$ 510 milhões para investimento nas áreas de educação, cultura e esporte. O Goiás na Frente Educação tem garantido reformas e ampliações de escolas e quadras esportivas; a construção de Escolas Padrão Século 21; implantação de Escolas de Tempo Integral; melhoria no transporte escolar; a implantação de programas pedagógicos como o Aprender+, Goiás + Enem e outros avanços na educação no Estado. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)