13 de novembro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Goiânia
16/10/2018 | 17h07
Aprovada lei que beneficia pessoas portadoras de epilepsia
Objetivo é garantir atendimento especializado e de qualidade para as pessoas que além dos graves problemas de saúde, ainda enfrentam discriminação em razão das crises convulsivas

Projeto é de autoria do vereador Alysson Lima (PRB) (Foto: Reprodução)

Da Redação

Foi sancionado nesta terça-feira (16) pelo prefeito Iris Rezende a lei que cria o Programa de Atenção à Saúde das Pessoas Portadoras de Epilepsia em Goiânia. O projeto é de autoria do vereador Alysson Lima (PRB) e foi criada em fevereiro. 

O objetivo é garantir atendimento especializado e de qualidade para as pessoas acometidas por esta doença que, além dos graves problemas de saúde, ainda enfrentam discriminação em razão das crises convulsivas. A estimativa é de que a epilepsia atinja mais de 60 milhões de pessoas no mundo todo. No Brasil, 1,2% da população apresentam a doença.

Pela lei, que passa a valer em Goiânia, assim que for publicada no Diário Oficial, o município fica obrigado a desenvolver campanhas educativas sobre a epilepsia e contra a discriminação; capacitar profissionais de saúde; distribuir os medicamentos necessários de forma ininterrupta e principalmente, fornecer atenção terapêutica integral no serviço público de saúde para diagnóstico e tratamento da epilepsia, além de outras ações. 

Os recursos necessários virão de convênios, acordos, parcerias  e ajustes tanto com entes estatais quanto com a iniciativa privada, de acordo com as atribuições e competências legais da Secretaria Municipal de Saúde. 

 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)