13 de novembro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Justiça
08/11/2018 | 12h39
Lista tríplice para AGU é definida, confira
De acordo com a Constituição Federal, chefe do Executivo pode escolher qualquer cidadão para comandar a Advocacia-Geral da União

Lista tríplice ao cargo de chefia da AGU é divulgada nesta quinta (Foto: Divulgação)

Da Redação

A lista tríplice com os nomes indicados ao cargo de chefe da Advocacia- Geral da União (AGU) foi publicada nesta quinta-feira (8/11) pelo Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal, que abrange as carreiras de Procuradores da Fazenda Nacional, Advogados da União e Procuradores Federais. 

O resultado da última fase de votação, divulgado nesta quinta-feira (8), traz os nomes de Izabel  Vinchon Nogueira de Andrade – advogada da União, Fabrício Da Soller – procurador da Fazenda Nacional e Sérgio Bueno, procurador Federal como os três mais votados de cada carreira. A lista tríplice será entregue ao presidente da República eleito, Jair Bolsonaro.

A nomeação do advogado-geral da União é atribuição exclusiva do presidente da República. De acordo com a Constituição Federal, o chefe do Executivo pode escolher qualquer cidadão para comandar a Advocacia-Geral da União. O candidato, no entanto, deve ter acima de 35 anos, notável saber jurídico e reputação ilibada. O novo AGU atuará no exercício que se inicia em janeiro de 2019.

A expectativa dos membros das carreiras é a de que Bolsonaro indique um dos nomes constantes na lista tríplice. "O trabalho do AGU deve ser pautado pela independência técnica. Qualquer um dos nomes que compõem a lista possui predicados para chefiar a instituição, pois dispõe de vasta experiência na área jurídica e capacidade técnica para atuar, representar e defender os interesses da União", ressalta Achilles Frias, presidente do Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal.

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)