Política

Governador Ronaldo Caiado ressalta sensibilidade de Iris Rezende como político

Postado em: 01-12-2020 às 15h37
“O homem só sobrevive na atividade pública se tem a capacidade de se aproximar e conviver com o povo”, afirma governador| Foto: Reprodução/ Hegon Côrrea

Da Redação

O governador Ronaldo Caiado (DEM) participou nesta terça-feira (1º) da sessão solene realizada pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) em homenagem à trajetória do prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB). Com a presença de autoridades estaduais e de outras unidades federativas, ele recebeu, por iniciativa do presidente Lissauer Vieira (PSB), um certificado de reconhecimento público pelo trabalho desenvolvido em prol do Estado e da capital ao longo de mais de 60 anos.

“Iris tem uma trajetória que, indiscutivelmente, passa a ser referência para todos nós. Dentro do simbolismo de um livro de recordes, vossa excelência rompeu todos eles, seja no tempo de política, na capacidade de gestão e, ao mesmo tempo, na de se emocionar sem que a dureza da vida lhe tivesse tirado essa sensibilidade”, ressaltou Caiado, durante pronunciamento.

Sobre o perfil de Iris Rezende Machado e o fato de ter sobrevivido às intempéries do país durante 62 anos, Caiado foi direto: “O homem só sobrevive na atividade pública se tem a capacidade de se aproximar e conviver com o povo, não sendo político de gabinete”.

“Eu tive um entendimento desde cedo de que a minha presença na política era uma missão que Deus colocava nas minhas mãos e que, por isso, tinha que ser exemplar”, pontuou o atual prefeito, ao relatar que, em duas oportunidades, desobedeceu ao pai, que pedia para ele deixar a vida pública para trabalhar com os negócios da família.

De acordo com Caiado, na primeira campanha em que participou ao lado de Iris, uma cena não lhe sai da cabeça. Eles estavam atrasados para um compromisso, entre uma cidade e outra, e de repente, o hoje prefeito de Goiânia pediu para o motorista parar a caminhonete em que estavam, pois tinha visto três crianças, com cerca de três anos, pouco vestidas, chupando mangas. 

“Ele foi lá no banco de trás [do carro], pegou todo o lanche nosso, desceu da caminhonete, serviu às três crianças, voltou e continuamos a viagem. Iris me mostrou que a meta de poder era secundária ante a um gesto de solidariedade às pessoas mais vulneráveis”, relembrou Caiado, enquanto Iris, emocionado e atento, acompanhava as palavras do orador.

Ainda durante o discurso, o governador citou outras etapas importantes da trajetória política de Iris Rezende, como os mutirões e a atuação no cenário nacional, seja quando mobilizou o País com a campanha das “Diretas Já” ou quando foi ministro – da Agricultura e da Justiça. “Mostrou sua paixão por Goiás, que a política no nosso Estado tem que ter repercussão, representatividade e poder de decisão [em todo o território brasileiro]”, assinalou. 

O presidente Lissauer Vieira também deixou suas palavras de apreço. “A grande escolha de Iris foi servir ao povo goiano com dedicação e trabalho incansável. O exímio gestor público, político hábil e conciliador, o pai de família exemplar, cidadão correto e trabalhador. Todas essas qualidades fazem dele a referência maior do patrimônio humano do nosso Estado”.

Iris também revisitou algumas lembranças. “Deus me permitiu que, ao chegar aos 87 anos, vivesse momentos complexos: o regime autoritário, abusos por parte dos poderes constituídos, mas hoje vejo o Brasil equilibrado, Goiás se agigantando em todos os sentidos, e isso representa o bem-estar social”, definiu. “Quando recebo uma homenagem dessas, com as figuras mais importantes de Goiás de todos os Poderes, nessa Casa que realmente representa o sentimento de um povo, eu agradeço a Deus por esse momento tão importante, e fico certo de que deixarei para as futuras gerações um exemplo de dedicação”, destacou. Em conselho para os que continuam na atividade pública, ele apontou: “Não é porque se muda de posição que se muda o jeito de caminhar”.

Trajetória

Filho de Filostro Machado Carneiro e Genoveva Rezende Machado, Iris Rezende Machado nasceu em 22 de dezembro de 1933, em Cristianópolis, interior de Goiás, e se mudou com a família para Goiânia em 1949. 

Na capital, após militar no movimento estudantil, elegeu-se vereador, em 1958, com a maior votação proporcional da história – e a maior em números absolutos naquela época. Na Câmara, Iris presidiu a Casa. Em 1962, foi eleito deputado estadual por Goiás – novamente o mais votado da história, até então. Também ocupou a presidência do Legislativo estadual no período em que governador Mauro Borges foi cassado pela ditadura militar, em 1964.

A primeira eleição para prefeito da capital foi em 1965. Em outubro de 1969 teve seu mandato cassado e os direitos políticos suspensos por 10 anos pela ditadura militar. Formado em direito pela Universidade Católica de Goiás, hoje PUC-Goiás, Iris passou a advogar nesse período.

Nas históricas eleições de 1982, em pleno processo de redemocratização, foi eleito governador de Goiás. No último ano do mandato, em 1986, foi convidado pelo então presidente José Sarney para ser ministro da Agricultura, respondendo também pelos ministérios da Reforma Agrária, da Irrigação e das Minas e Energia.

Em 1990, conquistou o seu segundo mandato ao Governo de Goiás e, em 1994, se elegeu senador da República. Em 1997, foi convocado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso e assumiu o posto de ministro da Justiça.

De 2005 até 2010, exerceu as funções de prefeito de Goiânia em mais duas administrações. Em 2017, retornou ao Paço Municipal para cumprir o seu quarto e último mandato. Anunciou a aposentadoria política em 24 de agosto de 2020.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar