Segunda-feira, 22 de julho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Ser do bem

Adolescente cria sistema de energia após irmã morrer em incêndio causado por vela

Postado em: 11-07-2019 as 17h50
Garoto de 13 anos de idade, conhecido como “Gênio da Lâmpada” inventou um sistema de energia para abastecer os barracos da região onde mora, em Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul.

Ingryd Bastos

O brasileiro, Rogério Gonçalves, teve a ideia de desenvolver o sistema utilizando placas de rádio e bateria de celular, para tirar os moradores que não possuem energia elétrica da escuridão, quando a irmã mais velha, de apenas dois anos de idade, morreu queimada em um incêndio causado por velas no barraco onde a família morava.

“Essa tragédia na minha família me impulsionou a criar esse sistema de energia, não só pela minha irmã que morreu, mas pela segurança de outros barracos. Eu disse pra minha mãe que ia fazer uma luz e consegui cumprir o que prometi”, conta.

Ao todo são 185 barracos no assentamento onde o Rogério mora, e oito delas já foram beneficiados com a energia elétrica desenvolvida pelo garoto. Para os moradores da região, ele é um “resolvedor de problemas”. 

O método criado pelo adolescente para iluminar os barracos foi feito com uma placa fotovoltaica, um emissor de energia conhecido como “diodo”, uma lâmpada e uma bateria de celular. Ele explica que o diodo impede a placa de esquentar, evitando qualquer tipo de incêndio.

Empreendedorismo

A vocação do Rogério teve início ainda quando criança, ele conta que aos cinco anos de idade já mexia com eletricidade por curiosidade e com o passar do tempo foi desenvolvendo outras criações. “Uma vez peguei um celular e desmontei e montei várias vezes para saber se realmente eu sabia montá-lo. Depois que deixei como estava, vi que funcionava perfeitamente aí fui progredindo aos poucos”, relembra o garoto.

Outra invenção desenvolvida por ele é o que ajuda a conseguir uma renda para ajudar a família. Rogério grava áudios e anuncia propagandas de produtos das empresas da região em um aparelho que ele mesmo fez com caixas amplificadoras que encontrou na rua. “Eu usei um som de carro que estava quebrado, peças de guarda-roupa, uma caixa de hortifruti e adaptei na minha bicicleta” explica. 

Além disso, ele consertou um GPS quebrado que ganhou de uma professora que segundo ele, consegue provar para os clientes por onde andou, por quanto tempo e onde parou. Para cada hora de anúncio, Rogério cobra R$10 reais.

Reconhecimento

A história do garoto começou a ficar conhecida quando o empresário Diego Pavei fez uma postagem em suas redes sociais e levou o rapaz para participar de uma reunião com outros 200 empresários, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Segundo o empresário, o rapaz está muito a frente e realmente acredita que ele seja um prodígio.

E o garoto não para por aí, seu próximo projeto é criar uma bicicleta com rodas que geram energia para movimentá-las. A mãe do Rogério, Valdirene Gonçalves, de 41 anos, sonha em ver o filho se formando, e espera que ele consiga fazer um curso para aprimorar os conhecimentos já adquiridos por ele. “Ele criou tudo isso aqui, um curso o ajudaria  muito a crescer como profissional”, disse. 

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar