21 de agosto de 2017 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Ser Do Bem
Romaria
06/08/2017 | 18h30
Centro de Apoio da OVG acolhe romeiros em Muquém
A peregrinação ocorre todo ano, e iniciou na noite do último sábado (5) e segue até o próximo dia 15 de agosto

Peregrinos, devotos de Nossa Senhora da Abadia, percorrem uma caminhada de quase 50 quilômetros, pela GO-237, partindo de Niquelândia até o Santuário de Muquém.

Depois de uma longa caminhada, os peregrinos que participam da Romaria de Nossa Senhora D'Abadia chegaram na madrugada deste domingo (6) ao Centro de Apoio ao Romeiro da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG). No local foram recebidos com lanches, massagens e atendimentos de saúde. No primeiro dia da romaria, a estimativa é que mais de 20 mil pessoas tenham passado pelo CAR.

A estrutura da OVG, montada no quilômetro 14 da GO-237, começou a funcionar neste sábado (5). Até o dia 15 de agosto, data de encerramento da festa, serão oferecidos pão com manteiga e mortadela, leite, café e suco aos peregrinos e às pessoas de baixa renda acampadas na praça de Muquém.

Os romeiros contam ainda com banheiros com duchas para banho; curativos, aferição de pressão arterial, massagens; e um espaço de convivência, onde são disponibilizados bancos para descanso, um amparo importante para quem enfrenta o longo percurso.

O taxista Arlindo Ferreira de Souza, 44 anos, e o filho, Núnior, 21, saíram de Uruaçu e chegaram ao CAR com os pés machucados. Eles foram direto ao posto de primeiros socorros. “São 145 quilômetros e depois de três dias de caminhada meus pés ficaram doloridos. Essa atenção da OVG com os romeiros é essencial. A maioria vem de muito longe e precisa desse cuidado. O atendimento é completo”, garante.

Moradora de São João da Aliança, a microempresária Joanice Rodrigues, 58 anos, saiu de Niquelândia com três amigas. Depois de quatro horas de caminhada chegou ao CAR e logo pediu uma massagem. “Meus pés estavam formigando. Com essa massagem fiquei renovada e pronta para prosseguir a caminhada”.  

Apoio

O CAR conta com o trabalho de voluntários, funcionários da OVG e da prefeitura de Niquelândia, além da parceria de vários órgãos do Governo de Goiás, entre eles, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, e da iniciativa privada.

A cozinheira Maria Gorete da Silva é voluntária há mais de dez anos. “Venho pelo menos em três dias da festa. Corto verduras, ajudo a preparar os pães. Faço tudo com amor e com boa vontade. É uma forma de agradecer pelas bênçãos que já recebi e de ajudar outros romeiros”. 

Aluna do curso de técnico em enfermagem, Divina Mesquita ajudou como voluntária a fazer massagem nos fiéis. “Sempre fui bem recebida no CAR como romeira e agora é minha vez de retribuir. É muito gratificante”.

“A cada ano procuramos inovar e oferecer um melhor atendimento aos devotos. E a contribuição dos funcionários da OVG, voluntários e dos diversos parceiros é fundamental para esse acolhimento ao romeiro”, afirma a coordenadora do Centro de Apoio, Celina Urzêda.

História

Com início há 269 anos, a romaria é a mais antiga de Goiás. Todos os anos, no dia 5 de agosto, os romeiros saem da cidade de Niquelândia conduzindo a imagem de Nossa Senhora D’Abadia pela Rodovia da Fé. Eles iniciam a trajetória no fim da tarde na Igreja Matriz da Paróquia São José, passam pela Paróquia Nossa Senhora D’ Abadia e terminam a caminhada no Santuário de Muquém. A procissão ocorre durante toda a noite e termina com a chegada dos romeiros ao Santuário.  

Tópicos:  Romaria,   Muquém,   OVG

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)