20 de outubro de 2018 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Ser Do Bem
Crianças e adolescentes
17/05/2018 | 09h35
Maio laranja tem campanha sobre o combate exploração sexual
Durante o mês, serão realizadas diversas ações como palestras, seminários, roda de conversa, oficinas e panfletagem no comércio local e imediações

Teve início na sexta-feira, 5 de maio, pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Goiânia (Semas), a campanha Maio Laranja, de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Durante o mês, serão realizadas diversas ações como palestras, seminários, roda de conversa, oficinas e panfletagem no comércio local e imediações. 

De acordo com a Coordenação Estadual de Saúde do Adolescente, no período de 2017 o Estado de Goiás registrou 544 casos de violência sexual contra adolescentes. A campanha visa mobilizar a sociedade para o enfrentamento dessa realidade. O Maio Laranja é alusivo ao Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no dia 18 de maio.

A campanha também visa ampliar o debate entre profissionais da saúde, educação e segurança pública, além de entidades e outros segmentos sociais, sobre os sinais de identificação e as consequências da violência sexual, divulgando os canais de denúncia. 

Para o titular da Semas, Robson Azevedo, a iniciativa Maio Laranja em Goiânia e a integração com órgãos municipais fortalecem a causa. “É uma campanha que vai percorrer todo o Município. Essa integração possibilitará eficiência em relação à prevenção”, disse. 

Prevenção 

Segundo Robson Azevedo, a campanha estimula a notificação e denúncia dos casos, que na maioria das vezes ocorrem dentro da própria família. “O abuso e a exploração sexual contra crianças e adolescentes têm reflexo direto na saúde da vítima, principalmente no aspecto mental. Os sinais mais frequentes são relacionados à mudança de comportamento, pois eles se tornam pessoas retraídas, que preferem o isolamento. Na fase escolar, as vítimas diminuem o rendimento de forma visível. Daí a importância de trabalharmos essa questão juntamente com a família e as escolas”, afirmou o secretário. 

Tópicos:  Abuso,   Exploração,   Semas

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)