Coluna

Baldy ganha embate contra Professor Alcides pelo comando do PP

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 29 de julho de 2021

Ao que tudo indica, o prazo dado pelo presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (futuro ministro-chefe da Casa Civil do Governo Bolsonaro), de que definiria, até setembro, quem ficaram com o comando do partido em Goiás – se o atual presidente, Alexandre Baldy, ou o deputado federal Professor Alcides – o martelo, ao que parece, já foi batido. A presença de Nogueira, em evento em Anápolis, na terça-feira passada, de entrega de medalhas, ao lado do governador Ronaldo Caiado, aponta que o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, ganhou a queda de braço. Com a ausência de Alcides, na solenidade, Baldy transitou pelo local com desenvoltura. 

Lobby do PP 

Só que agora, a cúpula nacional do Progressitas tem uma tarefa árdua, qual seja, a de tentar emplacar Alexandre Baldy na chapa caiadista, na disputa ao Senado. A pedra no caminho do PP tem nome e sobrenome: Henrique Meirelles. 

Olho do furacão 

Mal o PSDB havia saído do noticiário policial, com o cumprimento de mandados de busca e apreensão na casa do ex-governador Zé Eliton, presidente do partido, agora é Marconi Perillo, que pode ser condenado a oito anos de prisão, por falsidade ideológica eleitoral. 

Cutucão 

Desafeto de Marconi Perillo desde o seu primeiro governo, que teve início em 1999, o senador Jorge Kajuru (Podemos), não deixou o fato passar em branco: “Deus existe, Justiça também”. 

Em Catalão 

Presidente do MDB, Daniel Vilela se reuniu com membros do partido, em Catalão, ex-correligionários do prefeito Adib Elias, que se filiou ao Podemos, após ser expulso do ninho emedebista, por apoiar Ronaldo Caiado, nas eleições de 2018. 

Adereço  

Condenado a mais anos de cinco prisão, por integrar esquema que desviou R$ 7 milhões dos cofres do INSS, o ex-vereador Amarildo passou a usar tornozeleira eletrônica. Ele é pai do deputado Delegado Humberto Teófilo (PSL), dono do bordão “Flagrante neles”. 

Terceira via 

Para discutir um nome que fuja da polarização política, nas eleições presidenciais de 2022, o presidente do PSD, Vilmar Rocha, foi a Campo Grande (MS), para uma conversa com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o prefeito da capital, Marquinhos Traldi (PSD). Teve também emedebista na reunião. 

Jogar confete  

Diante do discurso de Jair Bolsonaro, de avaliar se vai sancionar o fundão eleitoral de R$ 4 bilhões, para bancar campanhas eleitorais, o deputado federal e presidente do Podemos, em Goiás, José Nelto, diz que não existe meio veto. “É jogar para a opinião pública”, sustenta. 

Dupla  

Disposto a deixar o PSDB, depois de desgaste com a cúpula do partido, o deputado Talles Barreto teve nova conversa sobre o cenário político para 2022 e a correlação de forças políticas para as eleições com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que pode deixar o MDB para trabalhar um projeto político-eleitoral nas eleições do ano que vem. 

CURTAS 

– Goiânia vai injetar mais R$ 20 milhões nas medidas de prevenção e controle da pandemia do coronavírus. Rogério Cruz comunicou a abertura de crédito à Câmara de Vereadores. 

– Iris de Araújo retuitou fala de Roberto Requião, que quer presidir o que chama de “MDB nacional de guerra, não o do rato”. 

Compartilhe: