Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Caiado: Bolsonaro usa crise para esconder fracasso

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 28 de março de 2020

Rubens Salomão 

Ao responder Jair Bolsonaro, que disse ser “apaixonado” por Ronaldo Caiado, o governador de Goiás apontou qual seria o real objetivo do presidente ao gerar crise, contrariando as orientações científicas no combate ao coronavírus. Caiado deu novo capítulo ao rompimento na relação de 30 anos. “Acho que, como ele [Bolsonaro] sabe que a política do Guedes deu água, agora a muleta dele é o coronavírus. Seria muito mais bonito ele falar as coisas como elas são. Dizer que a política econômica do governo não deu certo. Ele não pode nos desautorizar”, criticou o governador ao Congresso em Foco. “Se você sabe que vai ter desemprego, falência, óbitos. Como os óbitos não serão contabilizados para o presidente, ele vai estar em condição de dizer que a economia explodiu e o desemprego aumentou. Poderá dizer: ‘Taí, avisei, os governadores não me atenderam’”, antevê Caiado.

Oportunidade

Continua após a publicidade

O governador ainda garante que o presidente Bolsonaro tem toda a oportunidade de assumir a responsabilidade e acabar com a quarentena em todo o país, caso o interesse dele não fosse o de constranger os governadores. 

Proposta

Caiado considera que o presidente poderia articular PEC para tirar dos estados a responsabilidade pela saúde. “Ele não pode falar uma coisa e o governo falar outra. É o melhor dos mundos. É mordomia de casado com regalia de solteiro”.

Oportunismo

O democrata conclui que Bolsonaro faz, de maneira oportunista, oposição ao próprio governo e tenta empurrar sobre os governadores o insucesso da política econômica.

À votação

Líder do Centrão, o deputado Arthur Lira (PP/AL) garante que o Plano de Equilíbrio Fiscal (PEF) está entre as pautas que serão votadas já na próxima semana. A matéria é prioridade para a bancada goiana.

Recuperação

Arthur Lira lidera 225 deputados e aponta “prioridade zero” ao chamado Plano Mansueto. “A matéria é importante para dar alternativas aos estados que já estavam em crise, ainda mais agora com as dificuldades dessa pandemia”.

Velho assunto

Parlamentares goianos adiantam com o relator, Pedro Paulo (DEM/RJ), emenda para flexibilizar a exigência por privatizações no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), o que permitiria a adesão de Goiás, mesmo sem vender a Saneago.

É hora?

A Secretaria Municipal de Saúde abriu edital e recebe propostas até dia 9 de abril para contratação de buffet “para atender as demandas” da pasta por 12 meses. A questão é que não há eventos na prefeitura durante a quarentena.

Comparação

Vários editais e licitações foram cancelados ou suspensos pela Secretaria Estadual de Saúde. Inclusive processo para escolha de organização social no HDT.

CURTAS

– A UFG suspendeu por meio de resolução os calendários acadêmicos por tempo indeterminado. 

– A decisão foi aprovada ad referendum pela inviabilidade de realização de reuniões presenciais.

– O Planalto lançou campanha #oBrasilNaoPodeParar, semelhante à #MilãoNãoPara, do fim de fevereiro. De lá para cá, a cidade italiana teve mais de 4 mil mortos.