Coluna

Caiado terá pastas de Meio Ambiente, Cultura e Agricultura

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 21 de novembro de 2018

O governador eleito, Ronaldo Caiado (DEM), mantém suspense sobre o primeiro escalão, que será apresentado no início de dezembro, depois de viagem que o senador fará a Londres para curso sobre gestão. O democrata, no entanto, mostra ter clareza sobre a reforma administrativa que pretende implantar a partir de janeiro e aponta que trabalhará com 17 secretarias (leia mais na página 8), extinguindo todas as atuais cinco pastas “extraordinárias”, atualmente utilizadas para acomodações políticas, e recriando secretarias temáticas. “Terei o mesmo número atual: as 13 secretarias mais as extraordinárias, que serão extintas. Não vou ampliar em nada, mas vou dar à Agricultura, à Cultura, ao Esporte e ao Meio Ambiente o que é de cada área”, afirmou. Todas as pastas citadas por Caiado foram finalizadas em 2011, em reforma administrativa realiza pelo então governador, Marconi Perillo (PSDB). O argumento, à época, se baseava na defesa da redução, por meio de fusões, que seria ponto crucial do ajuste fiscal que, em tese, tiraria Goiás da crise financeira. 

Prioridades

O futuro governador ainda aponta que a principal preocupação e é pagar salários que poderão estar em atraso e repassar os recursos para que organizações sociais façam a gestão das unidades de saúde.

Na pauta 

Caiado confirmou à Sagres 730 que discute com os atuais deputados estaduais atuais projetos de orçamento, o refinanciamento de dívidas, emendas impositivas e adianta que apresentará propostas alternativa para os incentivos fiscais. 

Utilização desautorizada 

A eleição para a presidência da Câmara de Goiânia e formação da Mesa Diretora, foi antecipada do dia 27 de dezembro (data regimental) para o próximo dia 4, em votação que representou vitória do grupo de 22 vereadores, que poderia, com mais tempo para influências externas, ser abalado até o prazo original. Há constante citação, nos corredores, à possível interferência do governador eleito, Ronaldo Caiado (DEM), e do vice, Lincoln Tejota (PROS). “Nem eu, nem o Caiado nos reunimos para definir ou anunciar apoio a qualquer um que se apresente nessa disputa. Quem pessoa que estiver usando nosso nome para isso, está fazendo sem a nossa permissão”, define Tejota. O grupo formado basicamente por vereadores em primeiro mandato antecipa as articulações e apresenta para presidente os nomes de Romário Policarpo (PTC) e Welington Peixoto (MDB). A principal frente alternativa é ligada à base do prefeito Iris Rezende (MDB), que garante não interferir no processo. Deste lado, o nome é o do atual presidente, Andrey Azeredo (MDB), que mantém discrição. 

Curtas

Há tempo  – “A tendência é a eleição na Câmara ser definida no último momento. Não deve ser diferente neste ano”, aponta Lincoln, sem descartar novas conversas.

Habitação – A Agehab recebeu representantes de 21 municípios e cinco construtoras para o financiamento habitacional para construção de 1.862 moradias. 

Valores – O investimento estadual, com o Cheque Mais Moradia, será de R$ 18,6 milhões, sendo R$ 10 mil por unidade habitacional.  

Sugestão de lá 

O governo de Michel Temer (MDB) deu nova sugestão à futura gestão de Jair Bolsonaro (PSL) para aprovação da atual proposta de Reforma da Previdência. A intenção é a PEC seja encaminhada até o dia 15 de janeiro de 2019. 

Tramitação

Nesta data, o Congresso Nacional deverá estar de recesso, conforme o calendário do Legislativo. A nova sessão legislativa, já com a composição de parlamentares eleitos em outubro passado, começa no início de fevereiro.

Novo ministro 

O deputado e médico Luiz Henrique Mandetta, anunciado como futuro ministro da Saúde, teve articulação para a indicação baseada na atuação do senador Ronaldo Caiado (DEM), que foi ontem a Brasília para confirmar a escolha.

Obscuro

O Ministério Público Federal entrou na Justiça com uma ação civil pública questionando a falta de transparência e de controle do termo de cooperação do programa Mais Médicos, que viabilizou a atuação de médicos cubanos no país. 

Argumento

Os procuradores apontaram falta de clareza sobre a execução do convênio e na aplicação dos recursos e questionaram a retenção de parte da remuneração pelo governo de Cuba.

Segunda chance 

A segunda turma do STF desarquivou o inquérito que trata das investigações sobre o senador Aécio Neves (PSDB-MG), suspeito de participar de irregularidades em Furnas, subsidiária da Eletrobras em Minas Gerais. Decisão por 3 votos a 2. 

Compartilhe: