Coluna

Chapa de Marconi segue em negociação e sem nomes

Publicado por: Redação | Postado em: 30 de julho de 2022

Enquanto a chapa majoritária de Ronaldo Caiado (UB) está praticamente sacramentada, Vitor Hugo PL) e Gustavo Mendanha (Patriota) só faltado o vice, Marconi Perillo (PSDB) segue sendo uma incógnita. O que não faltam são especulações à medida que o calendário se aproxima do dia 5, último prazo para as convenções partidárias. Conforme o apurado pela Xadrez, o tucano-mor segue em conversas com outras siglas, enquanto isso, a dúvida sobre se Marconi disputa o governo, Senado ou vaga de deputado federal, segue sem novidades, a não ser especulações. Uma delas, “ousada e de alto risco” como disse um tucano raiz à Xadrez, reforça a tese de uma aliança entre o PT e o PSDB. O pré-candidato ao governo pelo PT, Wolmir Amado seria vice na chapa tucana e a deputada estadual e pré-candidata a federal, Adriana Accorsi (PT) preencheria a vaga para o Senado. Ninguém no PSDB e no PT confirmou esse arranjo político. É fato que desde o início deste ano, as conversas de uma aliança entre as siglas — historicamente adversárias —, são ventiladas, mas sem confirmação. Para a cúpula nacional do PT, Marconi é o único em Goiás que pode oferecer um palanque plural e que possa dialogar com os conservadores.

Bom para o PT

Petistas moderados veem com otimismo uma aliança com o PSDB em Goiás. Avaliam que mesmo sendo um estado periférico em termos de votos (4.870.354 eleitores), tem peso econômico devido o agronegócio. É este segmento que mais preocupa Lula seguido pelos evangélicos. Marconi tem bom trânsito entre os dois e pode ajudar a melhorar a desconfiança sobre a candidatura de Lula.

Continua após a publicidade

Volta ao Senado

Para aflição dos concorrentes ao Senado, não é descartada uma aliança de Marconi com o PT sendo ele o candidato ao Senado. Seria bom para ele que mantém dianteiras nas pesquisas para a vaga, mas péssimo aos pré-candidatos a deputados estaduais e federais que perderiam um puxador de votos.

Cadê o vice?

O pré-candidato ao governo, Gustavo Mendanha (Patriota) “está tranquilo quanto à vaga de vice e mantém conversas com os seis partidos aliados”, disse uma fonte próxima ao pré-candidato. A conversa com o PDT está descartada assim com o PSD, portanto, o vice de Mendanha deve sair de uma das siglas aliadas. “As portas estão abertas para quem estiver disposto a somar com nosso projeto para um Goiás contemporâneo”, diz a fonte.

Prefeitos do sudeste

Nesta segunda-feira (1°), Ronaldo Caiado (UB) recebe os 22 prefeitos da região sudeste que reúne 272.472 mil eleitores dando seguimento à sua agenda política e administrativa. Embora muitos dos prefeitos dos 246 municípios goianos já tenham conversado com ele mais de uma vez, Caiado quer reforçar os laços de parcerias e também político.

PSD unido

Depois de bater o martelo que vai permanecer na aliança com Ronaldo Caiado, o PSD reúne nesta segunda-feira (1º), prefeitos, deputados e lideranças partidárias para traçar a estratégia de apoios à candidatura de Lissauer Vieira ao Senado.

Lula esquece o passado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e candidato a ao posto novamente, acusou o governo de Jair Bolsonaro (PL) de ser mais corrupto do que o ‘Mensalão’. Lula tem memória curta e acredita nisso pois o ‘Mensalão’ começou em seu governo.