Coluna

Com apoio a Maguito, PSL desfalca base aliada na Alego

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 24 de novembro de 2020

Venceslau Pimentel 

O movimento do PSL em Goiás, de não
seguir o prefeitável Vanderlan Cardoso – alinhado politicamente ao presidente
Jair Bolsonaro – e declarar apoio a Maguito Vilela, mostra que a legenda toma
caminho próprio, depois da aliança fechada com Ronaldo Caiado nas eleições de
2018. A bancada na Assembleia Legislativa, que integrava a base de apoio ao
Palácio das Esmeraldas, cerra agora as fileiras da oposição, após Paulo
Trabalho acompanhar Major Araújo e Humberto Teófilo. Mas o líder do Governo,
Bruno Peixoto (MDB), está só esperando passar o segundo turno para retomar o
processo de recomposição da base aliada.

Convencimento 

Uma das primeiras tarefas de Bruno
Peixoto é contornar a insatisfação dos deputados Zé Carapô (DC) e Wilde Cambão
(PSD), que perderam a eleição a prefeito em Luziânia e Jataí,
respectivamente. 

Sinal bicudo 

Prefeito eleito de Minaçu, o tucano
Carlos Lereia, um dos políticos do partido mais próximos do ex-governador
Marconi Perillo, se junta ao staff da campanha do ex-adversário emedebista, em
Goiânia. 

Ainda não 

Depois de tomar a dianteira de partidos
tradicionais em Goiás, como PSDB e o PSB, ficando na quarta colocação da
eleição em Goiânia, Gustavo Gayer (DC) tem ouvido apelos de seguidores nas
redes sociais para se posicionar no segundo turno. Ele tem resistido. 

Mão dupla 

Depois que o PT de Goiânia liberou sua
militância, com indicativo de voto em Maguito Vilela, o MDB trabalha para
convencer Márcio Corrêa, terceiro colocado na disputa em Anápolis, a voltar
atrás e declarar apoio ao candidato petista Antônio Gomide. 

Demanda 

Depois de se reunir com o vereador
eleito William Veloso, os presidentes do Secovi Goiás, Ioav Blanche, e da
ADU-GO, Luis Alexandre Crincoli, têm encontro agendado com Marlon, Wellington
Bessa, Ronilson Reis, Isaías Ribeiro, Thialu Guioti e Henrique Alves. Em pauta,
propostas para o setor habitacional. 

Na pauta 

O projeto de lei do governo que
reajusta em 12,84% o salário dos professores da rede estadual de ensino está na
pauta da sessão de hoje da Alego, para votação definitiva. O percentual será
aplicado de forma retroativa a 1º de janeiro de 2020.

 Efeito coronavírus 

A pouco mais de um mês para o
encerramento do ano, a arrecadação atingiu R$ 21,62 bilhões, considerando o
período de janeiro a outubro deste ano, para uma projeção inicial de R$ 29,2
bilhões, incluindo déficit estimado de R$ 3,59 bilhões. E no meio, uma pandemia
que derrubou a receita.

Fake news 

Pode virar lei a proposta aprovada pela
Câmara de Goiânia, e já enviada à apreciação do prefeito Iris Rezende, que cria
o programa municipal de enfrentamento à disseminação de informações
falsas.

CURTAS 

– Os órgãos do governo
têm até o dia 30 de novembro para fazer o empenho de suas despesas correntes e
de capital. 

– Por avaliar que os aspectos
epidemiológicos e sanitários do momento não são favoráveis, os cinemas de
Goiânia vão continuar fechados. Palavra do Centro de Operações em Emergência de
Goiânia. 

 

Compartilhe: