Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Daniel Vilela: “Precisamos construir um projeto convergente”

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 07 de maio de 2018

O deputado federal e pré-candidato ao governo, Daniel Vilela
(MDB), admite o desafio de buscar estrutura para a campanha para fazer frente
aos grupos em formação em torno dos adversários Ronaldo Caiado (DEM) e José
Eliton (PSDB). Para isso, conta que tem conversado constantemente com líderes
partidários na busca do convencimento de que seu nome e o MDB possam “construir
projeto convergente num pensamento político que seja novo para Goiás”. “É neste
sentido que buscamos consolidar uma aliança”, afirma. Daniel não tem pressa nas
conversas, já que o prazo para confirmação das coligações vai até o dia 5
agosto, no fim das convenções, e afirma que não se sente pressionado pelos
anúncios dos concorrentes. “Esse é o momento de conversas mesmo e é natural que
as lideranças conversem com todos mesmo. Encontramos quase que diariamente com
o ministro Alexandre Baldy (PP) e a conversa é contante com o ex-deputado
Vilmar Rocha (PSD). Também com os deputados dos dois partidos. É uma construção
e não decisão apenas de cúpula”.

         MDB nacional

Continua após a publicidade

Em evento do partido em São Paulo, o presidente Michel Temer
afirmou que ele e o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, estarão “juntos
em qualquer hipótese”. Avaliação feira no lançamento da pré-candidatura de
Paulo Skaf ao governo paulista.

Juntos e misturados

“Nós temos o que dizer, nós temos o que apresentar”, afirmou Temer em
tentativa de resposta às análises de que qualquer candidatura ligada ao atual
governo esteja dada á derrota na votação de 7 de outubro.

CEI aponta 40 obras

Os vereadores da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que
apura situação de obras paradas em Goiânia retomam hoje as atividades na Câmara
Municipal com o objetivo de apontar as causas e consequências da paralisação de
diversas obras na cidade. A comissão aponta, até agora, que são pelo menos 40
obras paralisadas, que geram prejuízos aos cofres do município e também aos
serviços público que deixam de ser prestados. “O número pode ser ainda maior. O
ex-secretário Fernando Cozzetti informou, ano passado, que eram 40 obras
paradas em nossa capital. Só que apenas em uma vistoria que fizemos na semana
passada descobrimos outras três obras paradas que não foram comunicadas
oficialmente pela Prefeitura”, conta o vereador. Boa parte dos trabalhos sem
continuidade é herança da gestão finalizada em 2016 na prefeitura de Goiânia,
que sofreu com falta de recursos próprios e descontinuidade de financiamentos
federais. “Já ouvi falar de que temos aproximadamente 100 obras paradas em
Goiânia”, especula o vereador.

CURTAS

Depoimentos – A
CEI das obras paradas deve ouvir nesta semana secretários e ex-secretários
municipais, além empresários, funcionários e engenheiros.

Jurídico – A
Escola Superior de Advocacia de Goiás (ESA) realiza entre 19 e 26 de maio, o
curso “Direito, Sociedade, Ideologia e Gênero”. Inscrições de R$ 30 a R$ 100.

Prazo final
Depois de suspensão e retomada, interessados no concurso do AparecidaPrev têm
até hoje para realizarem as inscrições junto à prefeitura.

Fatias do bolo

O presidente Michel Temer (MDB) anunciou ontem no Twitter a liberação
de crédito suplementar no valor de R$ 4 bilhões para estados e municípios. Os
recursos são resultado das compensações financeiras pela produção de petróleo e
gás natural.

Rejeição

Segundo o Palácio do Planalto, a sanção do projeto de lei
será publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União. Em resposta à
publicação de Temer, pipocaram reações: “não fez mais que a obrigação”.

Destinação

O crédito já havia sido aprovado pelo Congresso Nacional e
prevê também a compensação pela utilização de recursos hídricos na geração de
energia elétrica, no valor de R$ 6,7 milhões, e devolução de R$ 18,3 bilhões de
Imposto Territorial Rural.

Imóveis abandonados

A Câmara de Goiânia realiza na quarta-feira (9) uma
audiência para discutir a situação, como uso, conservação, segurança e
destinação, dos prédios públicos e privados ociosos em Goiânia.

Pedido

A iniciativa é do vereador Anselmo Pereira (PSDB). “O
desabamento de um prédio em São Paulo, com várias mortes, nos obriga a pensar
numa saída sobre os mais de 400 imóveis na capital que estão ociosos”,
destacou.

Afinado

O governador José Eliton (PSDB) finalizou no fim de semana
as conversas individuais com deputados estaduais da base aliada. Até então, o
papo só era feito no atacado. Prometeu atender demandas do varejo.