Coluna

Deputado bolsonarista recusa Coronavac e vai para final da fila

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 31 de julho de 2021

Por ter recusado a se vacinar com a Coronavac, alegando falta de eficácia, o deputado estadual Humberto Teófilo (PSL), que é delegado de Polícia, vai para o final da fila, conforme decreto da Prefeitura de Goiânia. Ao chegar ao posto de vacinação, ele quis saber qual o imunizante que estava sendo aplicado. Como se negou a vacinar, teve que assinar um termo de opção e recusa. “Qualquer outra eu tomaria, mas a Coronavac, não”, sustentou o parlamentar bolsonarista, que á autor da lei aprovada na Alego e sancionada pelo Executivo, que veda a vacinação obrigatória em Goiás conta a Covid19. 

Dois pesos 

Na Alego, com suas posições contrárias às medidas de prevenção contra o coronavírus, como se vê no caso de vacinas, Humberto Teófilo propôs criar memorial em homenagem às vítimas da Covid-19. 

Sem prova 

Sobre Jair Bolsonaro enfim, admitir não ter provas de fraudes contra a urna eletrônica, o deputado Lucas Calil (PSD) ironiza. Diz que uma pessoa ganha a eleição e contesta as urnas. “É a mesma turma que contesta o uso de máscaras”. 

Tem em Goiás 

Relatório do Tribunal de Contas da União aponta para o recebimento indevido do auxílio emergencial residual de 747 mil beneficiários, totalizando R$ 437 milhões, milhares deles em Goiás.  

Contumaz 

Irregularidades e fraudes em contratos na antiga Agetop, na gestão do PSDB, não param de parecer. Agora, o Ministério Público descobriu mais uma organização criminosa que atuava no órgão, com desvio de cerca de R$ 400 milhões, pagos a empreiteiras.  

Ares palacianos 

Depois de se dizer oposição a Ronaldo Caiado, o deputado Henrique Arantes (MDB), parece mesmo familiarizado com o ambiente palaciano. Rasgou elogios ao governador no lançamento do programa Aprendiz do Futuro. Já é considerado membro da base aliada na Alego. 

Nome aos bois 

Os nomes dos padrinhos políticos ao lado dos nomes dos servidores comissionados deverão ser divulgados pela Controladoria Geral da União. Aí o eleitor vai saber direitinho quem são cabos eleitorais em cargos na estrutura do governo federal. 

Contra  

Contra tributar mais ainda o contribuinte, o prefeito Rogério Cruz quer parecer jurídico da OAB para saber se a prefeitura pode abdicar da taxa de lixo, embora lei federal prevê punição ao município que não implantar esse tributo. 

CURTAS 

– Pela operação que culminou no desfecho do caso de Lázaro Barbosa, o secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, foi a Coronel Fabriciano receber moção de aplauso da Câmara Municipal local. 

– A Alego retoma os trabalhos em Plenário na próxima semana. 

Compartilhe: