Coluna

Deputado diz que Fisco erra ao chantagear Caiado

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 11 de dezembro de 2020

Venceslau Pimentel 

Técnico fazendário estadual, o deputado Cláudio
Meirelles (PTC) – embora tenha criticado o projeto do líder do governo, Bruno
Peixoto (MDB), que institui a carreira de apoio fiscal-fazendário da Secretaria
da Economia – bateu duro contra o que ele classifica de “paralisação
branca” do Fisco, ao abrir mão de combater a sonegação, entre outras
ações, como forma de atingir Ronaldo Caiado. “O Estado não pode ficar refém de
uma categoria, seja da polícia ou do Fisco”, disse da tribuna. Meirelles negou
qualquer participação na proposta do deputado emedebista, até porque afirma que
a matéria, se aprovada pela Alego, vai esvaziar as funções do
Fisco.

Projeto solo 

Bruno Peixoto assegurou que o seu projeto não tem a
digital do Palácio das Esmeraldas, como tem colocado alguns deputados da
oposição. E garante que a carreira de Apoio Fiscal é essencial à administração
tributária, por ser responsável, em grande parte, pelo sucesso da arrecadação
estadual. 

Queixa 

Depois de Amauri Ribeiro (Patriota), ontem foi a
vez do deputado Coronel Adailton (PP) reclamar do tratamento dispensado aos
parlamentares da base aliada na Alego pelo secretariado. De imediato, ele
recebeu a solidariedade de integrantes da bancada de
oposição.

À distância 

Em razão da pandemia, os vereadores eleitos poderão
participar, via remota, do ato de posse, em 1º de janeiro, e também da eleição
da Mesa Diretora, da formação das comissões permanentes e do Conselho de Ética
e Decoro Parlamentar. Para tanto, o Regimento da Câmara de Goiânia está sendo modificado. 

Construtor 

Depois de Pedro Ludovico Teixeira, que transferiu a
capital da antiga Vila Boa, Iris Rezende foi quem construiu Goiânia. O
veredicto é do governador Ronaldo Caiado, em ato em homenagem ao
prefeito. 

Repercussão 

O projeto do Ministério Público que cria 58 cargos
comissionados em sua estrutura, revelado pela coluna, foi alvo de debate na
Alego, com questionamentos de tal proposta partindo de um órgão
fiscalizador. 

Guloseimas 

A menos de 20 dias para o fim da atual legislatura,
a Câmara de Goiânia abriu licitação para comprar alimentos para atender o
Parlamento, que vai atender aos vereadores que tomarão posse em 1º de janeiro
de 2021. 

Emergencial 

Igrejas e outros templos religiosos passam a ser
reconhecidos como de atividade essencial em Goiás como atividade essencial em
período de calamidade pública, conforme projeto aprovado ontem. O deputado
Jeferson Rodrigues, pastor da Universal, diz que igreja é o hospital da
alma. 

Decolagem

Dois meses depois de receber o primeiro voo internacional,
o aeroporto de Goiânia entra na lista das privatizações, depois que o Tribunal
de Contas da União aprovou estudo de viabilidade técnica e econômica. No total,
22 terminais serão vendidos para a iniciativa privada. 

CURTAS 

– Dia 15 de dezembro termina o prazo para prestação
de contas de quem disputou eleição para prefeito, vice-prefeito e vereador,
além de partidos políticos.

– A Comissão de Direitos Humanos da Alego
rejeitou projeto que proíbe, nas entrevistas de emprego, que o candidato seja
inquirido sobre religião e orientação sexual. Proposta de Iso Moreira
(DEM). 

Compartilhe: