Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Deputados votam contra próprias emendas e mantêm veto

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 22 de março de 2018

Depois da indignação de deputados da base aliada, que até
consideraram derrubar o veto do governador Marconi Perillo (PSDB) às mais de
800 emendas parlamentares no orçamento para este ano, a decisão do líder tucano
foi mantida ontem, com facilidade, no plenário. Por 20 votos favoráveis e 9
contra, as emendas foram retiradas do texto e os deputados, que indicariam R$ 3
milhões, agora serão buscados individualmente por José Eliton (PSDB) para
definir quanto das demandas serão atendidas ainda neste ano a partir do dia 7
de abril, quando assume o governo. Votação fiscalizada de perto pelo líder,
Francisco Oliveira (PSDB). “Estamos trabalhando junto ao governo diante de um
orçamento enxuto que foi aprovado para este ano. Estamos trabalhando para
aprovar as emendas impositivas a partir de 2019 e já há articulação do próprio
governador Zé Eliton neste sentido. Para este ano, vamos conversar para termos
emendas cumpridas”, afirma Lissauer Vieira (PSB). A oposição tinha sete
deputados na votação, dos nove que votaram pela derrubada.

Garantido

Continua após a publicidade

Antes mesmo das reuniões com a base sobre as emendas
parlamentares, o presidente da Casa, José Vitti (PSDB), garantiu junto ao
governador a derrubada do veto às emendas da mesa diretora.

Facilidade

Para assegurar a verba da Assembleia, os deputados foram
unânimes: 30 a zero. A estimativa é de que as inclusões no orçamento garantam mais
de R$ 600 milhões, para custeio e investimentos.

Tayrone abandona
candidatura

Depois de se definir com “um avião para fazer campanha”, o
ex-vereador Tayrone Di Martino (PSDB) teve oficializado ontem o cancelamento da
pré-candidatura a deputado federal. O tucano, ex-petista, deixou o cargo de
secretário de Governo na gestão estadual antes mesmo do prazo de desincompatibilização
requerido pela Justiça Eleitoral para candidatos e iniciou trabalho intenso de
mobilização no estado, com ações pelo interior, mas foco em Goiânia e Região
Metropolitana. Principalmente em Trindade, onde conta com proximidade com o do provincial
na Congregação do Santíssimo Redentor, Padre Robson de Oliveira. A
pré-campanha, no entanto, tem fim definido com nova nomeação de Tayrone, que
agora passa a ocupar uma das secretarias extraordinárias no governo estadual. O
retorno foi oficializado na terça-feira e publicado ontem no Diário Oficial do
Estado. O tucano ainda não apresentou justificativas para o recuo, mas
lideranças da base acreditam que a Operação Caifás, do Ministério Público
Estadual em Formosa, teria ligado sinal de alerta.

CURTAS

Água em pauta – A
Assembleia Legislativa recebe movimentos sociais e ambientalistas às 9h para a
audiência “Nossos Rios e o Cerrado”. Iniciativa de Adriana Accorsi (PT).

À igualdade
Debate na OAB/GO aborda, das 18h às 20h30, o “Empoderamento e Participação da
Mulher na Política Brasileira”.

Virou moda
Vereadores de Aparecida de Goiânia recebem às 8h30 o secretário municipal de
Saúde, Alessandro Magalhães. A cobrança já é rotina em Goiânia.

Passe valorizado

A direção e bancada federal do PP goiano preferiu continuar
em meio aos assédios da base governista e da oposição, ao invés de tomar
decisão por algum dos lados. Foi o saldo de reunião realizada ontem na sede do
partido em Brasília.

Prazo total

O presidente nacional, senador Ciro Nogueira, reforçou
defesa de aliança com o MDB, mas deixou a decisão para Wilder Morais, Alexandre
Baldy, Roberto Balestra e Sandes Júnior. Sugeriu prazo até o fim das
convenções, em 4 de agosto.

Gato escaldado

Depois de liderar pesquisas a prefeito de Goiânia e ficar fora
do segundo turno em 2016, o deputado federal Waldir Soares (PSL) afirmou, sobre
Ronaldo Caiado: “Estamos na frente, mas não se iludam com pesquisa não”.

Ao voto

Com mais um esvaziamento do plenário por parte da base
aliada, deixou de ser votado ontem, pela terceira vez, o projeto do governo que
perdoa dívidas de ICMS da Celg-D – hoje Enel, anteriores a 2015.

Irritação e birra

“Tínhamos até quórum na terça-feira, mas eu fiquei meio
nervoso. Tinha combinado com os deputados e não deu certo. Fui birrento”, conta
José Vitti (PSDB). O acordo previa votação de vetos a emendas da Casa no
orçamento, derrubados só ontem.

Feira livre

A semana tem sido marcada por debates entre deputados
interessados em adiantar as contas sobre a eleição. É que as sobras não mais favorecerão
candidatos com baixa votação em grandes coligações.