Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Eleição estadual fortalece base de Iris na Câmara Municipal

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 10 de outubro de 2018

O resultado das eleições deste ano em Goiás não deixou
apenas o senador Ronaldo Caiado (DEM) como vencedor, ou os senadores e
deputados eleitos. O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), também venceu,
mesmo sem ser candidato. É que o ambiente deixará de ser tão espinhoso para o
gestor na Câmara Municipal a partir da saída de vereadores eleitos para outros
cargos no último domingo (7) e a posse dos suplentes, em 2019. Em destaque, as
vitórias de Jorge Kajuru (PRP) para o Senado, Elias Vaz (PSB) como deputado
federal, além dos deputados estaduais eleitos Eduardo Prado (PV) e Alysson Lima
(PRB). Os quatro lideravam as ações de oposição contra o prefeito e não perdiam
oportunidades de criticar o emedebista. Mais que a simples saída deles, alguns
dos suplentes que passam à titularidade de mandatos na Câmara são iristas
históricos e deverão reforçar a base do prefeito. Principalmente Alfredo Bambu
(PRP), Álvaro da Universo (PV) e Denício Trindade (SD), que não devem manter
discurso intenso de oposição na Casa. Pelo contrário.

Novo cenário

Continua após a publicidade

No lugar de Elias Vaz, entrará o ex-tucano Dr. Gian (PSB).
Além destas mudanças, há ainda a posse, no ano que vem, de Divino Rodrigues
(PROS) no lugar de Vinícius Cirqueira, que se elegeu deputado estadual.

Pauta

As conversas entre vereadores nos corredores da Câmara já
têm pauta prioritária: a eleição para a mesa diretora, que ocorrerá em
dezembro. A escolha do presidente já sofre influência da eleição de Ronaldo
Caiado (DEM) para o governo estadual.

Haddad suspende
visitas

Pegou mal e a presidente nacional do PT, senadora Gleisi
Hoffmann, confirmou que o candidato do partido à Presidência, Fernando Haddad,
a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve mais visitá-lo em
Curitiba na etapa final da campanha. Lula está preso desde abril na carceragem
da Polícia Federal após condenação em segunda instância por corrupção e lavagem
de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). Ir a Curitiba em todas as segundas-feiras
passou a fazer parte da rotina de Haddad, como ocorreu nesta semana logo
após o primeiro turno das eleições. De acordo com Gleisi, foi o próprio
Lula que determinou a Haddad para concentrar os esforços na campanha. “Manda o
Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui”, disse a presidente do PT ao
repetir a frase que teria sido dita por Lula. “Estamos com um curto espaço de
tempo. Só temos mais duas semanas”, justificou sobre a orientação do
ex-presidente. A senadora participou de reunião do diretório nacional da
legenda e governadores.

CURTAS

Junto – Haddad recebeu
apoio dos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), Wellington Dias (PI); Rui
Costa (BA);  Fernando Pimentel (MG) e Camilo Santana (PE).

Novidade – Os
goianos renovaram mais de 60% da bancada do estado na Câmara dos Deputados para
o mandato que começa em 2019.

Fora! – O
destaque para ausência de Jovair Arantes (PTB), Fábio Sousa (PSDB), Giuseppe
Vecci (PSDB) e Roberto Balestra (PP). Maior taxa de renovação em 12 anos.

É hoje

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) será ouvido às 15h pela
Polícia Federal sobre a Operação Cash Delivery. O interrogatório seria amanhã, mas
o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, pediu antecipação por
questão de agenda.

Pós votação

A operação foi deflagrada no dia 28 de setembro e Marconi
pediu para ser ouvido após as eleições, o que foi acatado pela delegada Marcela
Rodrigues de Siqueira, responsável pelas investigações. O tucano ficou em
quinto na disputa ao Senado.

Clima quente

A reunião da Executiva nacional do PSDB em Brasília,
realizada ontem, se transformou numa lavagem de roupa suja. Geraldo Alckmin,
que preside a sigla, acusou João Doria, de “traidor” no meio de uma discussão
na frente de todo os integrantes da cúpula.

Novatos

A composição do Senado em 2019 terá representação de 21
partidos, pela primeira vez. A renovação na Casa chegou a 85% esta eleição. Das
54 vagas disponíveis, 46 serão ocupadas por políticos que nunca se elegeram
senadores.

Por aqui

A bancada goiana no Senado terá 100% de renovação. Além da
eleição dos novatos Vanderlan Cardoso (PP) e Jorge Kajuru (PRP), a vaga de
Ronaldo Caiado (DEM) passará à titularidade de Luiz Carlos do Carmo (MDB),
primeiro suplente.

Só depois

A Assembleia Legislativa retomou ontem as atividades depois
das eleições e o deputado reeleito Bruno Peixoto (MDB) apresentou PEC para que
o Orçamento impositivo só tenha validade em 2020. Recibo caiadista.