Coluna

Eliton e Caiado apaziguam ânimos e acertam corte de incentivos

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 23 de novembro de 2018

“Nada melhor do que os donos dos bois conversarem, ao invés
dos vaqueiros ficarem brigando”. Assim definiu o presidente da Assembleia
Legislativa, José Vitti (PSDB), sobre reunião articulada por ele e realizada
ontem no Palácio das Esmeraldas entre o atual governador, José Eliton (PSDB), e
o gestor eleito, senador Ronaldo Caiado (DEM). A conversa foi articulada pelo
tucano, que tem bom trânsito com ambos, e o principal objetivo era
“destensionar os ânimos”, já que “tem muita gente na transição e acaba tendo
muita notícia truncada”, explica Vitti. Estiveram na conversa, além dos três, o
líder do governo, Francisco Oliveira (PSDB), e o ex-deputado estadual, Samuel
Belchior (MDB). Além da retomada da boa relação, ao menos aparentemente, houve
ainda encaminhamento de acordo sobre a redução dos incentivos fiscais. A
definição, segundo apurado pela Coluna, é de que a discussão será feita no
âmbito da Assembleia Legislativa e, da maneira que o projeto for aprovado na
Casa, será sancionado por Eliton e cumprido por Caiado.

Ao debate

O projeto enviado governo tucano receberá emenda do relator,
Lívio Luciano (Podemos), para cortar os incentivos em ao menos 12,5%, como determinado
pelo TCE. Falta combinar com os empresários para manter a competitividade de
Goiás.

Apertou

Caiado se preocupa com as contas em 2019, mas tucanos também
defendem a mudança. É que o TCE só não multou Eliton e João Furtado Neto em R$
35 mil diários por conta de pedido de vistas de Helder Valin, na última
quarta-feira.

TSE confirma novo
deputado

O empresário professor Alcides Ribeiro teve eleição para
deputado federal confirmada ontem em decisão do plenário do Tribunal Superior
Eleitoral (TSE). A confirmação foi dada em análise sobre recurso do Ministério
Público Federal, que pedia a cassação do registro sob o argumento de que ele
estava inelegível com base na Lei Ficha Limpa, que proíbe candidatura de
dirigentes de empresas que tenham sido condenadas por doações consideradas
ilegais por decisões definitivas ou por órgão colegiado da Justiça Eleitoral. O
professor Alcides disputou a eleição pelo PP e obteve 88.545 votos em outubro,
sendo o nono mais votado do pleito. Ele havia sido condenado porque a faculdade
Alfredo Nasser, empresa da qual é diretor, fez doação de R$ 250 mil à chapa que
ele integrava em 2014 como vice-governador ao lado de Vanderlan Cardoso, que
estava na época no PSB e, agora, foi eleito senador pelo PP. O TRE-GO definiu que
a doação teve valor acima do permitido, já que a empresa não declarou
arrecadação à Receita Federal, em relação ao ano anterior.

CURTAS

Resultado – Para
o TSE, um político só fica inelegível nos casos comprovados em que o valor
doado ilegalmente compromete o resultado da eleição.

Promoção – Hoje
tem Black Friday e reportagem na edição online (ohoje.com) apresenta
aplicativos que facilitam a procura por ofertas.

A cumprir – Já
está na Constituição Estadual, mas decisão do TJGO busca, mais uma vez, obrigar
o governo estadual a pagar todos os servidores até o dia 10.

Dívidas

A prefeitura de Goiânia enviou projeto à Câmara para
estabelecer novo programa de renegociação de dívidas, a ser realizado entre os
dias 10 e 21 de dezembro. Além de IPTU e ISS, serão incluídos valores de multas
de trânsito e do Procon.

Partido unido

O deputado federal Celso Russomano (PRB-SP) anunciou a
desistência da disputa pela presidência da Câmara dos Deputados e hipotecou
apoio à candidatura do deputado goiano João Campos para o cargo.

‘Adiantado’

João Campos tem articulação “bastante adiantada”, segundo o
governador eleito Ronaldo Caiado, e tem conquistado apoios importantes depois
da citação por Jair Bolsonaro (PSL), que se referiu a ele como um nome forte na
disputa.

Recado claro

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso desmentiu boatos
de que teria proposto aliança do PSDB com o MST contra o presidente eleito Jair
Bolsonaro (PSL). “Fake news”, definiu o tucano.

Novo partido

“Disse e assino: partidos e movimentos devem de renovar.
Filtrar: apoiar o bom, recusar o mal, pensar no povo e no Brasil sem
sectarismos. Contra extremos, sou radical do Centro. O resto é mentira”,
diretamente, confirmou FHC.

Inclusão

O projeto ‘Cozinha e Voz’ formou a primeira turma de
assistentes de cozinha em Goiás. No projeto, Ministério Público do Trabalho e
Organização Internacional do Trabalho promovem formação e inserção no mercado
de trabalho de travestis e transexuais.

Compartilhe: