Coluna

“Exigente” com as escolhas, Dra. Cristina sobre PL: “Vendável”

Publicado por: Yago Sales | Postado em: 12 de janeiro de 2022

Titular da Secretaria de Direitos Humanos de Goiânia, a ex-vereadora Dra. Cristina Lopes (sem partido) está esperta e, como ela diz, “exigente” para escolher uma sigla para ir às urnas em outubro de olho em uma vaga na Câmara dos Deputados. Sem mágoas, mas “esperta”, ela não deverá esquecer a traição que sofreu do Partido Liberal de Magda Mofatto, quando foi “rifada” na composição de chapa na campanha eleitoral à Prefeitura de Goiânia em 2020. Em diálogo com PSD, Pros, Solidariedade e PSDB – um bom filho à casa retorna. Ela falaria ontem com Lucas Vergílio, do Solidariedade, mas o encontro foi desmarcado. Para se filiar, Cristina precisa apenas que os partidos garantam três coisas: viabilidade, apoio e repasse do fundo eleitoral.

À espera

A Dra. Cristina ainda não decidiu qual candidato a presidente deve apoiar. Mas adianta, sem nomes: “Não vou entrar neste cenário [ideológico]. Estamos sofrendo pela desgovernança, mas não vou entrar no mérito, por enquanto.” Sem mágoa. “Ficou a aprendizagem. É [o PL] um partido vendável. Saio maior do que entrei.” Palanque em Goiás:  “Sou mulher de caneta, papel e lápis. Não de armas”. 

Janela partidária

Partidos maiores temem que haja uma revoada de parlamentares em abril com a chamada ‘janela partidária’, período em que parlamentares podem mudar de legenda sem perder o mandato. Avaliam que os acordos dos diretórios nacionais em apoiar determinadas candidaturas presidenciais, prejudiquem filiados nos estados. 

Preocupação

Muitos parlamentares precisam do apoio de quem está no poder, independentemente de ser ou não aliado do presidenciável apoiado pela cúpula partidária a nível nacional.

Expectativa 

Tucanos graúdos estão animados com o início de ano tímido de Gustavo Mendanha (sem partido). Pode ser a chance de Marconi Perillo se colocar à disputa ao governo. Neste cenário, Ronaldo Caiado (DEM) sairia em vantagem, pois tem um grande arsenal contra o ex-governador.

Cabo de guerra

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), deve apimentar a Casa a partir de fevereiro, colocando em pauta projetos polêmicos que vão atrair a atenção do legislativo. Por outro lado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), diz que não há clima para aprovar pautas polêmicas. Os dois estão de olho, cada um à sua maneira, nas eleições. 

Agrura 

Pelo menos mil e 500 pessoas assistiram à coletiva de imprensa sobre a nomeação da professora Angelita Pereira de Lima, nova reitora da Universidade Federal de Goiás (UFG), pelo presidente Jair Bolsonaro. 

Preocupação

No discurso, o ex-reitor Edward Madureira, indignado, associou a escolha do terceiro e último nome na lista tríplice à atitude ditatorial. A estratégia de Bolsonaro, dizem, é que Angelita não assuma e Bolsonaro escolha um interventor. Angelita vai tomar posse. 

Na pele 

Uma equipe de reportagem da TV Goiânia Band foi atender a um pedido da população para reclamar da falta de asfalto na Avenida dos Missionários, no Jardim Maranata, em Aparecida. O resultado: o carro da emissora ficou atolado.

Em breve

A secretaria de Infraestrutura de Aparecida diz que tem 13 frentes de pavimentação pela cidade. A pasta aguarda até o final do semestre deste ano a liberação de recurso financeiro internacional. Enquanto a massa asfáltica não chega, a gestão vai enviar uma equipe para nivelar as ruas. 

Literatura

Em entrevista ao programa Você é Mais, no canal do YouTube O Hoje News, apresentado pela jornalista Edna Gomes, o escritor Gabriel Nascente comenta o seu último livro “A ópera dos ausentes”, uma obra política, fina e diferente de tudo o que ele já produziu. 

Curtas


A posse do presidente eleito da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO), Rafael Lara Martins, vai ocorrer amanhã, a partir das 18h, no Cel da OAB, em Aparecida.

Compartilhe: