Coluna

Fala ríspida de deputado provoca constrangimento na Alego

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 15 de abril de 2021

Venceslau Pimentel

Presidente da Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, o deputado
Thiago Albernaz (Solidariedade) ficou no fogo cruzado quando Amauri Ribeiro
(Patriota), do plenário, se dirigiu de forma ríspida à secretária da Economia,
Cristiane Schmidt, que se encontrava na mesa diretora, prestando contas do
governo relativas a 2020. Tudo por conta de dívidas de produtores rurais, de R$
1 bilhão, pela não expedição de Guia de Trânsito Animal (GTA). Como perdoar a
dívida implica em renúncia de receita, a secretária chegou a sugerir que o
montante fosse bancado com recursos de emendas parlamentares. “Eu peço que a
senhora respeite esta Casa”, reagiu Ribeiro, dizendo que a dívida não é de
responsabilidade nem dos deputados nem dos produtores. Em seguida, ele, que é da
base aliada, jogou papéis que tinha nas mãos no chão do plenário. 

Diplomacia

Constrangido com o episódio, Thiago Albernaz passou a palavra para a
secretária, que pediu desculpas caso tivesse atingido os deputados. Afirmou que
não defendeu o uso de dinheiro de emendas para pagar a dívida, mas sim que
estava discutindo saídas para não prejudicar os produtores. 

Recado dado 

A propósito, ao abrir a exposição das contas do Governo, Cristiane
Schmidt elogiou a campanha da Acieg de combate à violência contra a mulher,
seja psicológica, verbal, em gestos, em formato de piadas ou brincadeiras de
mal gosto. 

Sem armas 

Uma semana depois da troca de farpas entre os vereadores Sargento
Novandir (Republicanos) e Pedro Azulinho (PSB), que por muito pouco não chegou
às vias de fato, Ronilson Reis (Podemos) apresentou projeto que proíbe o porte
de armas nas dependências da Câmara de Goiânia. 

Holofotes

Líder do PSL na Câmara, o deputado federal Vitor Hugo classificou como
deplorável o grampo que o senador Jorge Kajuru fez de telefonema com o
presidente Jair Bolsonaro. Pontuou que a ânsia por holofotes dilacera a
sensatez e expõe a verdadeira índole do ser humano. 

Na polícia 

A vereadora Gabriela Rodart (DC) deixou às pressas a sessão de ontem, na
Câmara de Goiânia, para comparecer a uma delegacia de polícia, mas não revelou
o motivo do depoimento.

Fica em Goiás 

Tramita na Alego projeto que estabelece que vacinas contra a Covid-10,
compradas com dinheiro do tesouro estadual, não serão repassadas ao Ministério
da Saúde para vacinação da população de outros Estados. Pelo menos enquanto não
forem vacinados a população-alvo e os grupos prioritários de Goiás. 

Nada feito

Negócio desfeito. Entrou em vigor a lei que revoga a concessão de área
que o ex-governador e atual presidente do PSDB José Eliton havia destinado à
Afipe, quando a mesma era presidida pelo padre Robson de Oliveira. 

Mudança

Já está valendo a alteração feito por decreto do governo ao estatuto da
Universidade Estadual de Goiás, que estabelece eleição de quatro em quatro
anos, no mês de junho, e que comunidade acadêmica será consultada para a
escolha de coordenador de curso, diretor de instituto e do reitor. 

CURTAS 

O governo pede autorização da Alego para transferir áreas à Codego,
para a construção de subestação da Enel, em Anápolis, segundo o líder do
governo, Bruno Peixoto (MDB). 

O vereador Geverson Abel (Avante) defende a criação de restaurante
popular, em Goiânia, nos moldes do que é mantido pelo governo do Estado, para
atender a população em vulnerabilidade social.

Compartilhe: