Coluna

Governo Estadual descarta decretar restrição de atividades econômicas

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 13 de junho de 2020

Rubens Salomão 

Com aumento constante de casos, esgotamento de medicamentos
para internações e alta ocupação de leitos de UTI dedicados à Covid-19 em
Goiás, o governo estadual não pretende retomar a liderança no processo de
limitação de atividades econômicas e isolamento social no estado. O presidente
da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, realiza desde o início da pandemia
articulação com o setor produtivo e descarta novo decreto. “Nos primeiros dias,
nós tínhamos que estabelecer uma linha muito clara e estruturante em relação ao
comportamento geral. À medida que a contaminação foi avançando, e vai atingir o
pico em julho, não tem como o estado dar tratamento por decreto estadual a
situações completamente diferentes”, afirma Fabrício. O auxiliar de Caiado
exemplifica com as realidades de Pirenópolis, que caminha para a reabertura, e
Rio Verde, que se aproxima de bloqueio total.

Pressão

Além de evitar novo decreto estadual, a gestão estadual
também arrefeceu atuação política, com pressão sobre prefeitos que insistem em
flexibilizar mesmo em cidades com altos números de disseminação do vírus.

Estado orienta

Nosso trabalho é para conversar com prefeitos e empresários
para tomarmos as melhores decisões. “A posição do estado é pelo isolamento
social e não abrimos mão disso. Mas tudo depende de avaliação epidemiológica”,
afirma Frabrício.

Cloroquina

O Ministério Público Federal em Goiás recomendou que governo
estadual e municípios goianos tomem providências para disponibilizar “os medicamentos
para uso precoce no tratamento da covid-19, conforme orientação do Ministério
da Saúde”.

Origem

A recomendação cita 88 vezes em suas 23 páginas os termos
cloroquina e hidroxicloroquina e é assinada pelo procurador Ailton Benedito,
que atua politicamente nas redes como militante bolsonarista e da extrema
direita.

Aos leitos

O Ministério da Saúde vai enviar 110 respiradores pulmonares
a Goiás na próxima semana para equipar hospitais de nove cidades. A destinação
foi confirmada pelo senador Vanderlan Cardoso (PSD), pelo Twitter.

Na ponta

O total de equipamentos será distribuído entre as cidades de
Rio Verde (40), Goiânia (20), Anápolis (12), Aparecida de Goiânia (10), Trindade
(8), Iporá (5), Senador Canedo (5), Goianira (5) e Itumbiara (5).

Meio ambiente

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou investigação
sobre desmatamento ilegal no território do Sítio Histórico do Patrimônio
Cultural Kalunga, em Cavalcante. 

Pela saúde

– A Justiça atendeu pedido do Ministério Público e paralisou
obras do Consórcio Sacyr Neopul ETC, em São Simão.

– Medida vale para empregados diretos, terceirizados e
prestadores de serviços, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.


Compartilhe: