Coluna

Governo revoga hoje decreto de situação de emergência

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 04 de junho de 2018

Nem bem a greve dos caminhoneiros
terminou, já surgiram rumos de um novo protesto país afora, que teria início
nesta segunda-feira. Em Goiás, o comitê de crise, criado pelo governador José
Eliton (PSDB), sob a jurisdição da Secretaria de Segurança Pública, continua
funcionando. A desmobilização desse organismo está prevista para hoje,
portanto, atento a qualquer sinal de um eventual novo protesto, de acordo com a
assessoria do governo. Desde a última quarta-feira, o comitê não detectou
nenhum sinal do movimento dos caminhoneiros. Por isso, o decreto será revogado.
Com o fim da greve, o Estado passou a registrar a retomada no abastecimento de
combustíveis e demais produtos que dependem desse tipo de transporte. Os postos
de combustíveis e a Central de Abastecimento (Ceasa) retomam ao atendimento
normal.

 

Sinal de alerta

Ao contrário dos primeiros sinais
ignorados pelo governo federal, sobre a movimentação dos caminhoneiros, o
Palácio do Planalto agora monitora os rumores de um novo protesto da categoria.
Para o ministro do Gabinete de Segurança Institucional general Sergio
Etchegoyen, o clima é de normalidade.

 

Monitoramento

Apesar do monitoramento do Planalto,
o ministro Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, considera falsas
essas informações sobre uma possível greve. Os responsáveis por espalhar boatos
pela internet estão sendo monitorados, segundo ele, e podem ser punidos caso
sejam identificados.

 

Processo de Serra na 1ª instância

 

O Supremo Tribunal
Federal deve julgar ainda esta semana pedido da procuradora-geral da República,
Raquel Dodge, que desça para a primeira instância o inquérito que investiga o
senador José Serra, por supostas doações eleitorais de diversos valores e não
contabilizadas na campanha do tucano. O caso Serra pode ser mais um a deixar a
alçada do STF, 
após plenário da Corte ter
restringido o foro privilegiado para deputados e senadores. Mais de 20
processos já foram enviados ao crivo de instâncias inferiores, de deputados
federais e senadores. A ampliação de restrições ao foro volta à pauta tanto no
Supremo quanto na Câmara dos Deputados, com apreciação antes do recesso
parlamentar de meio de ano.

CURTAS

Consulta – Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou
proposta que impede a cobrança de consulta médica no caso de retorno do
paciente para apresentação de exames.

Diretrizes – Os deputados têm até o dia 15 de junho para apresentarem emendas
à Lei de Diretrizes Orçamentária do Estado pra 2019.

Receita – Já a LDO da prefeitura de Goiânia, enviada
por Iris Rezende à Câmara, projeta receita de R$ 4,9 bilhões para o ano que
vem.

Sem rótulo

Lançado oficialmente como candidato
de Michel Temer, após este desistir da reeleição, o ex-ministro da Fazenda,
Henrique Meirelles rejeita ser rotulado como nome do Palácio do Planalto. Desde
que foi lançado como pré-candidato à Presidência da República, pelo MDB,
Meirelles procura se desvencilhar de rótulos que o ligue, também como o
preferido do mercado.

 

Aplicativo do TSE

Informação da
Justiça Eleitora diz que mais de 125 mil eleitores em Goiás já baixaram o
aplicativo e-Título. O sistema permite o acesso a uma via digital do título de
eleitor, por tablet ou smartphone. Ele
itores que não fizeram o recadastramento biométrico podem baixar o
aplicativo para usar no dia da eleição.

 

Cerrado

A Frente Parlamentar
do Cerrado, criada pela Assembleia Legislativa, tem hoje sua primeira audiência
pública, quando irá debater a Política Estadual de Incentivo à Cultura do
Bambu. A iniciativa é deputado Francisco Júnior (PSD), eu presidente a entidade.

 

Laço proibido

Em plena época em que se realiza a
maioria das exposições agropecuárias, em Goiás, a 
Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento
Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que proíbe
perseguições seguidas de laçadas e derrubadas de animais em rodeios ou eventos
similares. A proposta define penalidades que podem chegar a R$ 30 mil para quem
não cumprir a determinação.

 

Rescisão

A comissão especial
criada pela Comurg, dentro do Programa de Rescisão por Acordo Incentivado (PRAI),
uma espécie de programa de demissão voluntária, aprovou 
51 planos de adesão e reprovou seis por não atenderem aos critérios
estabelecidos. O despacho foi publico na edição do dia 30 de maio do Diário
Oficial do Município, a cargo da Diretoria Administrativa e Financeira. A
homologação das adesões deferidas é assinada pelo presidente da companhia,
Aristóteles de Paula Sobrinho.

 

CEI da Saúde

O relatório completo da Comissão
Especial de Inquérito da Saúde foi publicado no Diário Oficial do Município. No
total, foram 45 depoimentos, sete deles da secretária municipal de Saúde Fátima
Mrué, e 30 diligências a unidades de saúde, centro de zoonoses e Samu.

Compartilhe: