Coluna

Iris Rezende apresentará equilíbrio fiscal no fechamento do ano

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 12 de dezembro de 2018

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), deverá realizar
ainda neste mês uma apresentação sobre os números da prefeitura no fechamento
deste ano e, segundo antecipa o secretário de Finanças, Alessandro Melo, a
situação é de que equilíbrio. Depois de dois anos marcados por austeridade,
baixos investimentos e cortes em todo tipo de custeio a expectativa é de que o
déficit mensal, que chegou a ser de R$ 30 milhões, deverá ser zerado. “A
situação da prefeitura melhorou muito e o prefeito deverá fazer uma balanço
disso nos próximos dias, mas nós mudamos a realidade fiscal e financeira da
cidade. Vamos começar a sentir os efeitos disso nos próximos dois anos”, afirma
o auxiliar. O déficit foi equilibrado? “Vamos deixar o prefeito contar essa
notícia”, confirma Alessandro. A perspectiva positiva independe do resultado do
recadastramento de imóveis, que pode causar aumento de R$ 100 milhões na
arrecadação do IPTU no ano que vem, e passa por medidas como a renegociação da
dívida do IPSM e o combate à inadimplência de ISS.

Valores

Do total da dívida acumulada, que era de R$ 600 milhões no
início do mandato, cerca de R$ 450 milhões foram retirados pela reforma da Previdência.
Os outros R$ 150 milhões são de prestadores de serviço. E a prefeitura quer
parcelar em 24 meses.

Atendimento

“A gente fala ‘não’, mas não é por vontade. É por falta de
recursos”, afirma Alessandro sobre a possibilidade de passar a responder ‘sim’ para pedidos de obras. “Estamos fechando valor acima do esperado para
investimentos em 2019”.

Meirelles mantém
carreira política

Depois de garantir durante a campanha à presidente da
República que, se fosse derrotado não voltaria a ocupara cargo público, o
ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB) aceitou convite do governador
eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), para ser secretário estadual da mesma
área. O goiano de Anápolis é o sexto ministro do governo de Michel Temer (MDB)
a integrar a equipe do tucano e, nos bastidores, ainda aventa a possibilidade
de se fortalecer para nova disputa ao palácio do Planalto. Meirelles presidiu
também o Banco Central, durante a gestão do ex-presidente Lula. Hoje com 73
anos, é engenheiro formado pela USP, com mestrado em economia e administração
pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi o mais longevo presidente do
Banco Central, cargo que ocupou entre 2003 e 2011. Ficou no comando da Fazenda
de entre 2016 e 2017 e foi o único brasileiro ocupar o posto de presidente
mundial do BankBoston, onde trabalhou por 28 anos. “O estado de são Paulo vai
lembrar do nome do secretário da Fazenda. É uma oportunidade única”, disse.

CURTAS

Plataforma – Em
repetição do discurso da campanha eleitoral, Meirelles promete: “vamos liderar
o processo de crescimento”.

Distorção – Além da
diferença salarial em relação aos homens, as mulheres enfrentam outro desafio:
quanto mais filhos elas têm, menor é o salário que elas ganham.

Missão – E a
diferença não é pequena, uma brasileira com três ou mais filhos recebe até 40%
menos que uma colega que não é mãe, segundo o IBGE.

Trabalho iniciado

O futuro secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino,
confirmado ontem pelo governador eleito Ronaldo Caiado (DEM), já conversou
nesta semana, como detentor do cargo, com o futuro ministro da Saúde, Luiz
Henrique Madetta, em Brasília.

Vale lembrar

Ismael é atual diretor-presidente do Instituto Hospital Base
e também conselheiro titular do Colegiado Gestor da Saúde do Distrito Federal.
Já Madetta é deputado federal do DEM e teve indicação a Jair Bolsonaro
referendada por Caiado.

Última hora

Empresários chiaram ontem antes da sanção pelo governador
José Eliton (PSDB) do projeto que reinstitui os incentivos fiscais. Já no
palácio, alguns quase empinaram a carroça por só terem reparado ali um ponto
fundamental do acordo.

Prazo ilimitado

Eles queriam que os cortes de créditos outorgados e o
pagamento ao Protege fossem definitivamente revogados em 12 meses. Apesar da
tentativa, a Lei foi mantida prevendo apenas a rediscussão com Caiado neste
prazo.

Decano define

A luta pelos Direitos Humanos deve ser processo contínuo das
nações, escreveu em declaração formal o ministro do STF, Celso de Mello, em
homenagem aos 70 anos da Declaração Universal.

Função

O decano do STF ainda define: “cabe ao magistrado repelir
práticas governamentais abusivas e neutralizar ensaio de opressão estatal”,
além de “respeitar pactos internacionais que protegem grupos vulneráveis”.

 

Compartilhe: