Coluna

Líder garante base sólida mesmo depois de perdas na janela

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 16 de abril de 2018

O líder da base do governador José Eliton (PSDB) na
Assembleia Legislativa, Francisco Oliveira (PSDB), garante que o novo governo
mantém base sólida na Casa, apesar das saídas de deputados que passaram a
apoiar a pré-candidatura do senador Ronaldo Caiado (DEM) ao governo. Citando
cada caso, Chiquinho considera que, efetivamente, passam a reforçar a oposição
os deputados Dr. Antônio, que deixou o PR e ingressou no DEM, e o ex-tucano Iso
Moreira (DEM). “Foram motivados por questões de sobrevivência política nas
bases eleitorais”, afirma o líder, mesmo que as condições ruins aos colegas
tenham sido causadas por disputas internas à base governista. Já com Álvaro
Guimarães, que trocou o PR pelo DEM, a situação é tida como mais confortável,
já que o próprio afirmou à Coluna que não pretende “dar trabalho ao governo na
Assembleia”. “A base continua forte e coesa, com 28 deputados. Temos
tranquilidade para as votações. Mais que isso, começo a afiançar que vamos
fazer o governo no primeiro turno”, confia o tucano.

Tudo normal

Já presidente da Assembleia, José Vitti (PSDB), afirma que
as perdas já eram esperadas pela base aliada e que, na prática, foram menores
que o previsto.

Saldo positivo

“O saldo é muito positivo em relação ao que imaginávamos.
Teríamos talvez a possibilidade perder muito mais aliados, não só na
Assembleia, mas também de um modo geral. Obviamente, a oposição se fortaleceu”,
conta Vitti.

Ranking de
transparência

Goiânia ficou apenas na 213º posição no ranking de
transparência divulgado pelo Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCM) e
o  Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO, entre os 246 municípios
goianos. A lista avalia a cada seis meses o cumprimento da Lei de Acesso
da Informação pelos Poderes Executivos dos municípios. São consideradas pelos
órgãos a disponibilização de informações sobre receita e despesa, licitações e
contratos, remuneração dos servidores, divulgação de horário de funcionamento,
endereço e telefone; além da a existência ou não no site de Serviço de
Informação ao Cidadão (SIC). Apesar do aumento da média de pontuação dos
municípios, que subiu de 56 para 71 entre o primeiro e segundo semestre do
ano passado, Goiânia caiu na pontuação. No primeiro relatório de 2017, a
capital foi avaliada na 15º posição, com 86 pontos de 100. No ranking atual,
Goiânia está com 56 pontos, tendo recebido nota zero na divulgação de Receita,
Despesa, diárias e passagens de viagens.

CURTAS

Liderança – Os
primeiros no ranking são Gameleira, Itapirapuã, Matrinchã e São Patrício, com
98 pontos cada. Aparecida de Goiânia ficou na 48º posição.

Fora! – A Justiça
do Paraná fixou multa diária de R$ 500 mil para manifestantes que insistem em
ocupar o entorno da Superintendência da PF. Lula está preso há 9 dias.

À luta
Professores de Anápolis realizam paralisação no dia 26. O protesto é por
pagamento do piso, contra déficit de profissionais e o não pagamento de dobras.

Mudança gradativa

A última pesquisa Datafolha dá indícios de como poderá ser o
cenário eleitoral sem a presença física do ex-presidente Lula. O petista caiu
de 37% para 31% nas intenções de voto, com crescimento de Marina Silva (Rede) e
Jair Bolsonaro (PSL).

Caminho do voto

Os votos de Lula, no entanto, reforçam os nulos ou indecisos
nos cenários sem o nome do ex-presidente. Não migram consideravelmente nem para
os petistas apontados como alternativa: Fernando Haddad e Jaques Wagner.

Lados

O ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), avalia o
cenário da disputa à presidência e considera que nomes de extrema esquerda e
direita, como Ciro Gomes (PDT) e Bolsonaro, “causam instabilidade ao processo
eleitoral”.

Perfil

Questionado pelo Estadão sobre os desgastes do partido, por
conta de seguidas denúncias de corrupção, o anapolino se esquiva: “nunca fui
político”. Sobre o perfil como candidato, nega: “não o candidato do mercado”.

Dominado!

Além da vitória no fim de semana, o Vila Nova tem motivos
institucionais para “comemorar”. É que os três poderes em Goiás são agora
comandados por colorados. José Eliton (Executivo), José Vitti (Legislativo) e
Gilberto Marques Filho (Judiciário).

Mantra

O governador José Eliton voltou a repetir: “Eu sou a
mudança, eu sou a mudança, eu sou a mudança”. Desta vez foi no fim de semana em
encontro regional do PTB, em Itumbiara. O primeiro eminentemente político do
tucano no cargo.

Compartilhe: