Coluna

Lincoln Tejota defende viabilidade em promessas de campanha

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 18 de agosto de 2018

O candidato a vice-governador na chapa do senador Ronaldo
Caiado (DEM), deputado estadual Lincoln Tejota (PROS), admite as dificuldades
financeiras vividas pela administração estadual, mesmo com o ajuste fiscal
desde 2014, e percebe que não é razoável que candidatos da oposição façam
promessas revolucionárias na campanha. “Na verdade, nós temos que contar com o
orçamento que nós temos. Não podemos, infelizmente, diante da conjuntura do
Brasil. Com o pacto federativo, o governo federal tem a maior parte dos
recursos, sobrando pouco para estados e municípios. Então, como fazer mágica?”,
questiona o deputado estadual repetindo expressão utilizada pelo governador
José Eliton (PSDB), na sabatina do O Hoje, ao criticar a viabilidade de
propostas apresentadas pela própria oposição. Aliado que mais intensamente
defendia a gestão tucana na Assembleia Legislativa, até mudar de lado, Lincoln
segue com discurso distante do adotado por Caiado, que foca em críticas e
promessas. O plano de governo do democrata é o mais extenso, com 106 páginas.

Carro na rua

Depois das reuniões internas, o grupo liderado pelo DEM
começa a campanha de rua, com seguidas carreatas até o primeiro comício, na
Cidade de Goiás. As conversas foram focadas nas equipes de marketing e
comunicação.

Cirúrgico

Com exército menor que coligações de MDB e PSDB, a campanha
caiadista elaborou estratégia para, com agendas menos abrangentes e mais
efetivas, fazer frente às estruturas adversárias. Foco: não perder vantagem até
7 de outubro.

Alckmin rejeita
‘radicais’

O candidato do PSDB à Presidência da República, o
ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, divulgou nas redes sociais um vídeo
em que rejeita a possibilidade de aliança com o PT ou com o deputado Jair
Bolsonaro (PSL) no segundo turno. Na gravação, Alckmin se refere a ambos como
“radicais”. “Minha aliança é com você”, em referência a quem assiste ao vídeo,
e completa: “PT e Bolsonaro são dois radicais”. A mensagem foi divulgada após o
ex-presidente Fernando Henrique Cardoso dizer em entrevista à rádio Jovem Pan
que não descarta uma aliança entre PT e PSDB para enfrentar Bolsonaro, caso ele
passe para a próxima fase da disputa presidencial. A avaliação foi considerada
internamente como desvalorização a Alckmin, já que a tese seria de que
Bolsonaro estivesse garantido para segundo turno, com os tucanos precisando de
alianças para vencê-lo. Assessores do ex-governador, no entanto, alegam que o
vídeo publicado nas redes já estava gravado e não foi uma resposta direta pá
declaração de FHC.

CURTAS

Promessas – O
primeiro discurso de José Eliton, em Goianésia, marcou a apresentação das
primeiras promessas: mestrado a professores e criação dos ‘agentes sociais’.

Fora do plano – O
tucano não cita no plano de governo, mas prometeu “avançada política de
incentivos fiscais” para “gerar empregos em todos os municípios”.

Tente outra vez
A AGR devolveu à Saneago o plano de racionamento de água elaborado pela
estatal. Faltam datas e horários do possível rodízio no consumo.

Ao trabalho

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já começou a encaminhar
ao ministro Luís Roberto Barroso as ações que contestam o registro de
candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da
República.

Concentração

O ministro Admar Gonzaga era relator de quatro processos
apresentados de forma autônoma do registro de Lula, e pediu que a presidente da
Corte, ministra Rosa Weber, determinasse a redistribuição ao relator único do
caso.

Direto

As ações de impugnação foram apresentadas pela PGR, pelo
candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e pelo Partido Novo e
já estão com Barroso desde o início porque foram apresentadas dentro do
processo de registro de Lula.

Regras básicas

O Ministério das Cidades realizou palestra “Ética no Serviço
Público”, proferida pela Secretaria Executiva da Comissão de Ética Pública
(CEP) da Presidência da República. Foram apresentadas as principais normas e
regras do Código de Ética da Pasta.

Troca

O deputado federal Pedro Chaves (MDB) passa a ser o suplente
do candidato ao Senado Vanderlan Cardoso (PP) no lugar do ex-prefeito de
Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), que passará a ocupar a coordenação
geral da campanha.

Campanha regional

Depois de iniciar a campanha por Goiânia, a candidata do PT,
Kátia Maria, é a primeira a focar agenda no entorno do DF. Tem compromissos até
domingo em Cidade Ocidental, Valparaíso, Águas Lindas, Luziânia e Novo Gama.

 

Compartilhe: