Coluna

Marconi estabelece metas para possível mandato no Senado

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 05 de abril de 2018

Ainda sem tratar abertamente a pré-candidatura ao Senado, o
governador Marconi Perillo (PSDB) detalhou ontem algumas das metas e lutas
pelas quais pretende trabalhar na política nacional. A principal delas é a
busca pela redução da estrutura pública, com destaque ao Executivo e
Legislativo. “A máquina pública é muito cara, dispendiosa, burocrática e
excessiva. Isto suga o dinheiro do povo, pago através dos impostos. Eu vou
defender a redução do número de senadores por estado e vou defende uma mudança
constitucional que reduza o número de deputados federais, além da redução de
estruturas específicas em outras esferas de poder”, afirmou o tucano. Para ele,
não seriam necessários mais que dois senadores por estado – hoje são três.
“Quem acaba arcando com esta estrutura toda é o povo. Os 210 milhões de
brasileiros pagam por uma minoria que é comanda a burocracia. Vou defender
fortemente mudanças que resultem em diminuição de gastos supérfulos para sobras
o que é essencial”, garante.

É candidato?

“Caso eu venha a me candidatar a um cargo legislativo, vou
defender com muita convicção essas teses”, respondeu o governador, que entrega
o cargo neste sábado ao vice e pré-candidato, José Eliton.

Agenda

Marconi cumpre agenda intensa nos últimos dias no cargo e
hoje vai a Inhumas, Itauçu, Itaberaí, Mossâmedes, Cidade de Goiás e Goiânia.
Depois de deixar o posto e antes de viajar por uma semana, terá reunião, no
domingo, com Geraldo Alckimin.

Ameaça antidemocrática

Grupo de 150 juristas, defensores públicos, advogados e outras
personalidades, assinou texto com críticas às falas de militares que antecederam
o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula no Supremo Tribunal Federal
(STF). A principal manifestação foi feita pelo comandante do Exército, general Villas
Bôas, que postou no Twitter que a corporação “compartilha o anseio dos cidadãos
de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à
democracia” e reafirmando a disponibilidade do Exército de cumprir suas missões
“institucionais”. A nota dos juristas diz que “as recentes manifestações que
evocam atos de força configuram clara intimidação sobre um Poder de Estado, o
Supremo Tribunal Federal. Algo que não acontecia desde o fim da ditadura
militar. É urgente que os Poderes da República repudiem esse tipo de pressão.
As falas veiculadas nas últimas horas por oficiais das Forças Armadas
dificultam um julgamento isento e colocam em xeque a democracia. Não são
pessoas que estão em jogo. É a República. É a democracia”.

CURTAS

Incentivo – A
Goiás Fomento executa na próxima semana redução no juro mensal na linha Crédito
Produtivo. A taxa para valores até R$ 50 mil cai de 0,8% para 0,5%.

Fake news – A
Secretaria Estadual de Saúde alerta para falsas notícias na internet e garante
que não há epidemia de H1N1. Estamos em “situação de alerta”.

Oportunidade – O
Sebrae Goiás e o Grupo Mulheres do Brasil têm inscrições abertas até dia 28
para o Programa Mulheres Empreendedoras. Pelo www.sebraego.com.br. 

Expectativa alta

O deputado federal acompanhou ontem a vistoria do ministro
Alexandre Baldy a obras em Goiânia e gostou do que ouviu quando o novo
presidente regional do PP comentou possível aliança para a eleição em Goiás.

Indicação nacional

“O presidente Ciro Nogueira foi muito claro que entende que
o deputado Daniel Vilela deveria ser o candidato apoiado pelo partido.
Nacionalmente, o PP mantém aliança com o MDB, e essa aliança pode sim ser
replicada aqui no Estado”, considera Baldy.

No páreo

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) aprovou em sessão
extraordinária a aposentadoria do conselheiro Tião Caroço. Ele deixa o tribunal
para ser candidato a deputado estadual e se filia hoje ao PP.

Fora!

Além do fogo amigo dentro da base aliada na região de Posse,
a candidatura de Tião Caroço é mais um motivo para a saída do deputado estadual
Iso Moreira do PSDB. Ele se filia hoje ao DEM, junto com o senador Wilder
Morais, às 10h.

Proximidade

Resta definir a substituição na vaga do TCM. Marconi Perillo
indicou e a Assembleia Legislativa consentiu com o nome do cunhado do
governador, secretário extraordinário de Articulação Política, Sérgio Cardoso.

Cautela

Sobre as declarações do general Villas Bôas: “O ideal é que
os comandantes tivessem um cuidado maior. Da forma como foi feito, gerou
especulação, o que não é a melhor forma”, reagiu o presidente da Câmara,
Rodrigo Maia (DEM/RJ).

Compartilhe: