Coluna

Marconi Perillo defende reformas em confirmação de Alckmin

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 30 de julho de 2018

O ex-governador Marconi Perillo, que é primeiro
vice-presidente nacional do PSDB, participou no fim de semana das convenções
estaduais do partido em São Paulo e Minas Gerais. Coordenador político da
candidatura presidencial de Geraldo Alckmin, Marconi defendeu uma agenda de
reformas para o Brasil durante os lançamentos do ex-prefeito de São Paulo, João
Doria, para o governo paulista, e do senador Antonio Anastasia, para o governo
de Minas; nomes tucanos nos dois maiores colégios eleitorais do País. Os
eventos serviram de prévia para o apoio dos principais líderes a Alckmin, que
chegou a ser questionado internamente na legenda na pré-campanha. Nos dois
Estados, Perillo teve participação ativa nas composições para alianças locais,
por delegação de Alckmin na agenda de coordenação política da pré-candidatura
presidencial. Na convenção paulista, Alckmin, Doria e o ministro Gilberto
Kassab (PSD) elogiaram a condução das articulações pelo ex-governador goiano,
que também segue na corrida estadual em busca do retorno a uma cadeira no
Senado.

Elas o rejeitam

Um dos assuntos mais comentados do Twitter na última semana
foi a hashtag #MulherescomBolsonaro, que mobilizou 209.780 tuítes de 50.016
contas. O tema chegou a ocupar o topo dos assuntos mais citados na rede social.

Organização

Os perfis se organizaram em dois grupos bastante
polarizados: um núcleo favorável à hashtag, com 11.738 usuários (23,7%), e
outro crítico à iniciativa, com 36.850 perfis (73,7%). Ampla maioria contrária
ao pré-candidato.

PGR teme censura
prévia

O combate à propagação de “fake news” durante a
campanha eleitoral deste ano não pode incluir censura prévia sobre as
publicações, segundo defende a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. A
goiana de Morrinhos repassou orientações gerais sobre o pleito após reunião com
procuradores regionais eleitorais de 12 estados, em Brasília. A PGR considera
que a decisão de como encarar o assunto depende de cada integrante do
Ministério Público, que tem autonomia funcional para atuar. “O Ministério
Público Eleitoral tem compromisso com a liberdade de expressão. Essa exigência
da democracia tem que ser mantida, faz parte dos objetivos da atuação do
próprio Ministério Público e, portanto, ainda que para coibir notícias
inverídicas, que deformem a vontade do eleitor, nós não podemos utilizar
censura prévia”, disse Dodge. Para a procuradora, o que o MP pode fazer é “contribuir
para fortalecer a posição do eleitor brasileiro para que ele reconheça, no que
em meios eletrônicos ou físicos, as informações que não sejam verdadeiras”.

CURTAS

Compartilhamento
“O modo de fazer isso não é utilizando mecanismos de censura prévia, mas sim
fortalecendo no eleitor o seu compromisso”, define Raquel Dodge.

Funcionalismo – O
prazo para o recadastramento dos aposentados da preifeutra de Goiânia nascidos
no mês de julho se encerra nesta terça-feira (31).

Adesão – Pré-convenção
do diretório da Rede Sustentabilidade decidiu que Edson Braz não disputará o governo
e indicou apoio a José Eliton (PSDB). 

Experiência

O juiz federal Marcelo Bretas afirma que a sequência da
Operação Lava Jato no Rio de Janeiro serve como referência para ações em outros
locais do País. A avaliação reforçou a ideia de que outros núcleos políticos
regionalizados poderão ser apurados.

Forma e conteúdo

“Ao contrário da Lava Jato de Curitiba, a do Rio não tem uma
área específica, podendo focar tanto na educação como no transporte ou na
saúde. Assim, a Lava Jato aqui é uma espécie de laboratório para outros Estados
e até a União”, define Bretas.

Opção barata

O juiz acredita que as delações premiadas podem significar
um ganho de tempo e de recursos ao governo. “Ao invés de gastar milhões de
reais com os custos do processo, é mais barato para um réu devolver o que lhe é
acusado de ter ganhado ilicitamente”.

Luz no túnel

“Isso é uma mudança de paradigma, pois empresários sabem
fazer contas e veem isso como uma oportunidade”, disse. Com isso, Bretas
acredita que grandes empresas deveriam investir cada vez mais em ações
anticorrupção, para evitar prejuízos.

À convenção

A Associação Atlética Banco do Brasil de Itaberaí foi palco
do último encontro da frente “Unidos Para Mudar Goiás” antes da convenção
estadual, que deve chancelar o nome de Ronaldo Caiado (DEM) como candidato a
governador.

Confrontos

A chapa do senador segue recebendo críticas de governistas e
emedebistas e, além do ataque externo, luta para equilibrar posicionamentos
internos contrários– principalmente entre Jorge Kajuru e figuras como Wilder
Morais e José Nelto.

Compartilhe: