Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Marconi Perillo faz campanha em Goiás com discurso nacional

Publicado por: Fabianne Salazar | Postado em: 01 de setembro de 2018

 O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) passou a apresentar foco no debate nacional em discursos e apresentações na propaganda de Rádio e TV, iniciada na sexta-feira. Além de candidato ao Senado, o tucano é coordenador da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência e nacionalizou o discurso com o objetivo de defender a adoção de “medidas amargas” em plena campanha para o Senado e tentar se projetar como uma liderança além das fronteiras do Estado. As circunstâncias, no então, não são tão favoráveis. Em 2006, Perillo teve 73% dos votos válidos para o Senado depois de duas eleições para o governo. Nesta campanha, registra no máximo 30% das intenções de voto, empatado tecnicamente com Lúcia Vânia (PSB) e Jorge Kajuru (PRP), segundo a média das pesquisas de institutos como Serpes, Ibope, Grupom e, mais recentemente, Instituto Signates/Sagres 730. O próprio Perillo admite desgaste. “É natural. A política está muito diferente, as pessoas estão cansadas”, disse em entrevista ao jornal ‘Valor Econômico’

Discurso

Continua após a publicidade

O foco nacional de Marconi é mostrado em discursos nos eventos de campanha. Tanto em cidades do interior, como na região metropolitana de Goiânia, o ex-governador busca defender o perfil tucano de candidatos ao governo e à presidência.

Características

“O Brasil precisa de pessoas experientes, maduras, sensatas, se quisermos tirar o país do atoleiro”, diz, em referência negativa em âmbito local a Ronaldo Caiado (DEM) e, nacionalmente, a Jair Bolsonaro (PSL).  

Não bate

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) identificou, com base em dados do IBGE e do TSE, que em 308 cidades do Brasil o número de eleitores é maior que o de habitantes. 

Nós na lista

Metade dos municípios onde ocorre a inversão está em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul e em Goiás. Todos os casos em cidades de pequeno porte. Em todo o país, estão aptos para votar 146,8 milhões de eleitores.

Outra ideia

O presidente Michel Temer (MDB) voltou atrás e deve propor ao Congresso Nacional o adiamento do reajuste dos servidores públicos federais de 2019 para 2020. Com isso, deve abrir espaço de R$ 6,9 bilhões nas despesas previstas para o ano que vem.

Mudança

A decisão foi tomada após reunião com os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, e do Planejamento, Esteves Colnago, para apresentação do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2019. A equipe tem até o último dia de agosto para entregar o texto.

Processos

Os candidatos ao governo Ronaldo Caiado (DEM) e Daniel Vilela (MDB) protocolaram ações na Justiça em que questionam o uso da área em que foi instalado o comitê do candidato José Eliton (PSDB), na Avenida T-63, em Goiânia.

Motivo

As assessorias jurídicas apontam irregularidades no fato de que o comitê fica em terreno que está em disputa judicial entre uma empresa que a comprou irregularmente e o Estado, que o retorno da área ao seu patrimônio. 

“Criamos um mártir” 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou que a imprensa e o Judiciário contribuem para o que chamou de “vitrinização” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Sem noção vocês [jornalistas], sem noção nós, juízes e promotores. Criamos um mártir aqui”, disse. O magistrado afirmou que quando o petista estava solto aparecia com cerca de 25% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais. E hoje, preso em Curitiba, aparece com cerca de 40%. “Quando você coloca Lula com 40%, ou ganhando no primeiro turno, você está dizendo assim: ‘banana para a Lei da Ficha Limpa”, afirmou. Pelo que prevê a Lei da Ficha Limpa, pessoas condenadas em 2ª Instância por órgão colegiado ficam inelegíveis. O ministro Gilmar Mendes levantou a discussão depois de ser questionado sobre a possibilidade de que um réu em ação penal possa assumir o cargo de presidente da República. O ministro disse que não há impedimento constitucional e que qualquer entendimento diferente disso “é um devaneio”. 

curtas 

Em análise  – O STF não pacificou entendimento sobre se candidato ao Planalto réu pode assumir o cargo. Réus na linha de substituição do presidente não podem assumir. 

Presente – O primeiro dia de propagandas do Rádio e na TV mostrou o uso do PT da imagem de Lula, seja em programas de deputados ou ao governo.

Cultura – O Teatro Madre Esperança Garrido recebe, entre os dias 6 e 9 deste mês a 3ª edição da Mostra Goiana de Danças Urbanas, que reúne artistas de todo o país.