Coluna

O malabarismo de Mendanha para se firmar como oposição

Publicado por: Yago Sales | Postado em: 18 de fevereiro de 2022

Como se diz no jargão político, o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (sem partido) está ‘comendo pelas beiradas’, silenciosamente. Na avaliação de observadores do cenário político goiano, Mendanha não precisa de uma grande sigla e sim de um partido que ofereça tranquilidade para agasalhar seu grupo. O episódio do deputado Vitor Hugo (por enquanto no PSL) batendo bumbo para anunciar que, em Goiás, ele é o candidato de Jair Bolsonaro (PL), Mendanha passou a estudar outros convites para se filiar. Agora foi a vez do DC de Alexandre Magalhães que escancarou as portas do partido para recebê-lo. No cardápio partidário, há meses a sigla tenta convencer o ex-emedebista. A lista é longa, entre acertos para apoio no pleito e convites para filiação. Alguns deles: o PL, PTC, PROS, PODE, PSB, REPUBLICANOS e o PDT. Embora cercado de aliados que amarram ali e acolá reuniões, caberá unicamente ao prefeito de Aparecida a escolha de onde preencherá a ficha de filiação.

Fome e desemprego

Em entrevista ao Programa Face do Poder do canal “Hoje News” na quinta-feira (17), o governador de São Paulo e presidenciável do PSDB, João Dória negou que a pandemia e a corrupção seriam os principais temas da campanha eleitoral de 2022.

Justiça

Governador Ronaldo Caiado anuncia pagamento do novo piso salarial para os professores da rede estadual de Educação. Mais de 61 mil profissionais da Educação, entre ativos e inativos, passam a receber a remuneração com reajuste de 33,24%. Estado também irá conceder reajuste de até 7,4% para os profissionais que já recebem acima do piso nacional.

Inflação na mesa

“Não. A fome e o desemprego serão os principais assuntos. Não tem como ignorar a situação em que se encontra o país com milhões desempregados” disse o tucano, que emendou: “Gente sem meios para sustentar suas famílias e com a escalada da inflação que afasta a comida da mesa dos mais de 30 milhões de brasileiros que se encontram na pobreza”.

Novidade

Defensor de causas sociais, o novo arcebispo de Goiânia,  Dom João Justino, é visto por políticos ligados à Igreja Católica em Goiás,  como o oposto de seu antecessor, Washington Cruz. “Deve ser mais incisivo quanto às causas sociais e de Direitos Humanos”, disse um deputado.

Pano pra manga

Um ex-vereador do PT lembrou que o novo líder máximo da Igreja por aqui é um defensor de Paulo Freire e do bispo Pedro Casaldáliga, morto em 2020.

Protestos

O deputado Alysson Lima (Solidariedade), a principal voz da Alego contra o aumento do IPTU de Goiânia, disse que pressão popular contribuiu para parecer do MPGO sobre o teto de 10% sobre o valor do imposto.

Curta

O vereador Pedro Azulão Júnior é contrário à substituição do nome da Av. Castelo Branco por Av. Iris Rezende.

Compartilhe: