Segunda-feira, 15 de julho de 2024

Coluna

Oposição ao governo Caiado começa a se organizar e quer abrir CPI

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 15 de fevereiro de 2020

da Redação

Depois de atuação desunida e isolada no primeiro ano da
atual legislatura, apesar de vitórias temporárias com liminares na Justiça –
todas derrubadas, a oposição ao governo de Ronaldo Caiado (DEM) espera retomar
trabalhos na próxima semana com maiores número e coesão. Entre perdas e ganhos
em 2019, o grupo começa as sessões com 13 parlamentares. “Com a chegada dos
três que já fazem oposição clara pelas redes sociais durante o recesso,
chegamos perto do número necessário (14) para abrirmos Comissão Parlamentar de
Inquérito. E motivo não falta para investigar o atual governo, como a
manutenção das rodovias, contratos e a secretaria de Educação, que já foi alvo
de operação”, defende Cláudio Meirelles (PTC). O primeiro secretário faz
referência aos deputados Eduardo Prado (sem partido), Humberto Teófilo e Major
Araújo (ambos do PSL), que foram retirados da base no fim do ano.

As contas

Continua após a publicidade

Além dos citados, compõem a oposição Alysson Lima (SD),
Henrique Arantes (MDB), Lucas Calil (PSD), Antônio Gomide e Adriana Accorsi
(PT), Gustavo Sebba, Talles Barreto, Hélio de Sousa e Lêda Borges (PSDB).

Tem líder?

Formalmente, o líder da minoria da Alego é Talles Barreto,
mas a atuação entre os vários parlamentares, de diferentes partidos, é
restrita. Nem mesmo a bancada tucana consegue, por vezes, ter unidade.

Motivação

“São deputados com lados diferentes e a união é difícil, mas
vamos conversar. A única coisa que une mesmo é essa forma do Caiado de fazer
política”, constata Cláudio.

Outro patamar

Depois do secretário de Desestatização do Ministério da
Economia, Salim Mattar, desmarcar reunião com Caiado, o governador garantiu que
nunca buscou a conversa e que trata diretamente com Paulo Guedes e o presidente
Bolsonaro.

Momento certo

O governador diz que a venda de 49% das ações da Saneago –
Salim defende 51%, depende apenas de decisão do estado e que será realizada no
“momento adequado”.

Contrato em sigilo

“Vamos saber a hora certa e, para isso, contratamos pessoas
especializadas para poderem analisar o momento adequado”, disse Ronaldo.
Questionada sobre a contratação, a Saneago alega regra de silêncio definida
pela CVM.

Serviço público

O Sindicado dos Docentes das Universidades Federais em Goiás
recebe segunda-feira (17) plenária que discutirá ações conjuntas para “defesa
dos serviços públicos, das empresas estatais, do Brasil e dos trabalhadores”.

Autonomia

Pai do vice-governador Lincoln Tejota (Cidadania), o
conselheiro do TCE, Sebastião Tejota, determinou que o tribunal realize novas
inspeções em trechos considerados críticos das rodovias estaduais goianas.

CURTAS

– Empresas com débitos de multas aplicadas pelo Procon Goiás
poderão renegociar os valores em Semana de Conciliação.

– O órgão abre prazo para negociações entre 9 e 13 de março,
em parceria com a PGE, no Vapt Vupt do Shopping Cerrado.

– Presidente do Podemos, José Nelto convidou Bruno Peixoto
para filiação e possível pré-candidatura a prefeito em Goiânia.