Coluna

Paço vê “prejuízo à cidade” com atraso do Plano Diretor

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 04 de outubro de 2019

A possível e até provável votação da revisão do Plano
Diretor pela Câmara de Goiânia em 2020 seria prejudicial à cidade, segundo
avaliação do secretário de Planejamento, Henrique Alves. O atraso no cronograma
estabelecido pela presidência da Casa, em conjunto com a Comissão de
Constituição e Justiça e Comissão Mista, já é esperado por conta de análise
mais longa da procuradoria e a quantidade de audiência públicas propostas por
vereadores. “Quando o plano chegou, nós vimos a complexidade dele. À medida em
que os vereadores tomam conhecimento disso, entendem a necessidade de ter um
prazo maior”, afirma a presidente da CCJ, Sabrina Garcêz, que garante ainda
buscar cumprir o cronograma para votar até o fim deste ano. “Quanto antes o
projeto for aprovado, mais rápido ele será regulamentado. Deixar para 2020
seria um prejuízo à cidade e não à prefeitura”, considera Henrique Alves.

Recomendação

O secretário de Planejamento garante que o Paço “de forma
nenhuma vai interferir no Legislativo”, mas defende que “a aprovação ocorra
neste ano até para evitar uma contaminação eleitoral”.

À disputa

Além das questões técnicas, há divisão entre vereadores da
base mais próxima de Henrique Alves, que participaram da elaboração do texto
ainda na Seplanh, e aqueles que esperam o contato com empresários para o
“convencimento”.

Processo

A CCJ da aprovou série de requerimentos que pedem ao poder
executivo o envio de informações sobre as decisões tomadas sobre novas áreas de expansão urbana.

Demanda

Foi ponto
fundamental para a posse da ex-senadora Lúcia Vânia a falta de ações da equipe
anterior para corrigir problemas no sistema socioeducativo, principalmente
Centros de Internação de menores infratores.

Acompanhamento

O Ministério Público
tem feito avaliações detalhadas e cobrado medidas para evitar fugas e melhorar
as chances de recuperação de adolescentes. A demanda é tratada como prioridade
da nova secretária.

Atendido

Depois de carta pública e cobranças, o presidente da FIEG,
Sandro Mabel, teve aprovado o requerimento para prestar depoimento na CPI dos
Incentivos Fiscais, na Assembleia Legislativa. Pedido do deputado coronel
Adailton (PP).

Justifique

“É essencial o testemunho de quem representa as indústrias
do Estado e que foi um dos responsáveis pelas atuais leis de incentivo em
Goiás”, afirmou o deputado. A oitiva ainda não tem data marcada.

Estado

A proposta de desoneração da tarifa de ônibus desencadeou
guerra entre a equipe política, que é contra o aumento do licenciamento, e a
econômica, que é favorável.

CURTAS

– A UFG obteve nota
máxima em quase 30% dos cursos avaliados no Enade 2018.

– No País, o
resultado foi alcançado por cerca de 6% dos 8.520 avaliados. Não parece haver
tanta balbúrdia por aqui, afinal.

– O vereador Cabo
Senna (Patriota) apresentou projeto para instituir medalha para integrantes do
Corpo de Bombeiros Militar.

 

Compartilhe: