Coluna

Pandemia fez cair arrecadação do Estado em 2020

Publicado por: Venceslau Pimentel | Postado em: 18 de fevereiro de 2021

Venceslau Pimentel 

Em
2020, ano em que a pandemia do novo coronavírus imperou, a projeção inicial de
arrecadação do Estado não se confirmou, prevalecendo o déficit orçamentário
projetado de R$ 3,9 bilhões, conforme previsão da secretária da Economia,
Cristiane Schmidt, que constava da justificativa da matéria encaminhada à
Alego. De 
R$ 29,38 bilhões, a receita total
real chegou a R
$ 26,56 bilhões no ano. O demonstrativo da arrecadação estadual da Secretaria aponta que a arrecadação
de ICMS se confirmou como a principal fonte de tributos de Goiás, colaborando
com R$ 17,9 bilhões (68%), seguido de IPVA, com R$ 
1,69 bilhão. Já
as transferências intragovernamentais atingiram R$ 4,5 bilhões.

Melhorou 

O lado
positivo é que, diferentemente de 2019, quando a receita acima de R$ 2 bilhões
foi registrada em cinco meses ao longo do ano, no ano da pandemia, a
arrecadação ficou acima desse valor por nove meses, notadamente nos últimos
sete meses. 

Contra-argumento

Líder do
Governo na Alego, Bruno Peixoto (MDB), rebateu os argumentos do deputado
Humberto Teófilo (PSL) para criar a CPI das Interferências, em razão da troca
de delegados da polícia. Disse, em tom de indignação, que agora o governador
não pode sequer exonerar, por exemplo, servidor comissionado 

Câmara
vazia 

Depois
do prefeito Diego Sorgatto (DEM), que corre o risco de perder o mandato, agora
é a Câmara de Luziânia que pode ficar esvaziada, depois que o Ministério
Público Eleitoral pediu a cassação do diploma de nove vereadores da cidade. O
grupo teria recebido dinheiro indevido na campanha de 2020. 

Veto parcial

O
governador Ronaldo Caiado (DEM) sancionou a lei que assegura o direito à não
vacinação contra a Covid-19 de forma compulsória, mas vetou o artigo que diz
que o 
serviço público estadual de saúde bancará um sistema para cadastro das
pessoas que exercerem o direito de não se imunizar. 

Na
mira 

Dois
anos depois da Assembleia Legislativa, agora é a vez da Câmara de Goiânia
discutir a criação de uma Comissão Especial de Inquérito, com o objetivo de
investigar os serviços prestados e as condições de trabalho dos funcionários
terceirizados da Enel. 

Passar
a limpo 

Defensor
da CEI, o vereador Ronilson Reis (Podemos) diz que é somente investigando que
se pode passar a limpo os questionamentos como serviço precário, preços
abusivos, cortes indevidos e tratamento dado aos colaboradores da empresa de distribuição
de energia. 

Nepotismo

Decisão
do Superior Tribunal de Justiça, de declarar como nepotismo nomeação de filho
como interno em cartório no lugar do pai falecido, no Rio de Janeiro, não
alcança Goiás, mas, de acordo com advogado com conhecimento sobre o assunto, é
uma prática recorrente no Estado. 

Na
frente 

Quem
lidera ranking da 11ª edição do Prêmio Mais Influentes da Política, da Contato
Comunicação, na categoria Político Promissor, com 21,7% dos votos, é o vereador
Lucas Kitão (PSL). 

CURTAS 


Delegada de polícia, a deputada Adriana Accorsi (PT) defende a prisão para quem
for pego em flagrante simulando vacinar sem inocular o imunizante contra a
Covid-19. 

– A
Câmara Federal vai votar projeto que prevê o retorno do ano letivo em universidades
e escolas de ensino médio e fundamental a partir de 1º de março. 

 

Compartilhe: