Coluna

PCdoB pode indicar nome ao Senado em chapa com PT

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 12 de junho de 2018

 A direção estadual do PCdoB analisa o cenário em Goiás e tem
conversas para alianças viáveis com a pré-candidatura de Kátia Maria (PT) e do
governador José Eliton (PSDB). O principal objetivo da sigla, como explica a
presidente Isaura Lemos, é a eleição de deputados (as) estaduais e federais e,
para isso, busca a composição de chapas proporcionais fortes. Diante das
divergências nacionais com o MDB, do deputado federal Daniel Vilela,
principalmente depois do impeachment, e da incongruência história com o DEM, do
senador Ronaldo Caiado (DEM), a análise se divide entre o aliado PT, que ainda
não apresenta chapa proporcional competitiva, e o PSDB, apesar da dificuldade de
se defender o saldo de 20 anos. “Nada está descartado. Temos aliança
preferencial com o PT, que se esforça para construir uma chapa, e vamos
apresentar nomes para o Senado em uma possível aliança. Mas se a chapa para
deputado não for viabilizada, temos outras saídas que não são ideologicamente
afinadas com o nosso partido”, afirma a deputada Isaura.

Pela união

Isaura Lemos ainda defende uma aliança entre os partidos de
esquerda para a disputa nacional (PT, PCdoB, PDT, PSB e PSol). “Se não houver
esta união, é arriscado a esquerda não estar nem no segundo turno”, afirma.

Situação inusitada

Ainda acreditando em candidatura do ex-presidente Lula (PT),
que segue preso, Isaura admite: “É uma situação inusitada que jamais a gente
poderia imaginar: votar em um presidente que está preso. A justiça está ficando
desmoralizada”.

Ao ataque!

Coordenador das campanhas vitoriosas do PSDB em Goiás e um dos
principais aliados do governador Jose Eliton (PSDB), o presidente da Agência
Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, voltou ao debate político
e afinou tom de críticas pesas contra o senador e pré-candidato ao governo,
Ronaldo Caiado (DEM). Rincón avalia que o crescimento de Eliton nas pesquisas e
a variação negativa do senador eram esperados. “Goiás não pode voltar ao
passado. Nós sabemos o que o senador Caiado representa em termos de ideias e
posturas, é o atraso, ele é retrogrado. E o mais grave, o senador não tem
nenhuma experiência administrativa. Ele mesmo como parlamentar ele nunca fez
nada por Goiás”, acusou em entrevista à Rádio Bons Ventos. O tucano aprova o
ritmo de trabalho adotado pelo governador até agora, após dois meses da posse e
que, com isso, haverá maior conhecimento de Eliton pelos eleitores, que será
mostrado nas pesquisas. “Nós estamos com o pé no chão. Pesquisas ainda indicam
grau de conhecimento”.

CURTAS

Acordos – Foi
inaugurada ontem na Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia
(Aciag), a 1ª Câmara de Conciliação e Mediação do município.

Liberdade – “Sem
a imprensa livre, a Justiça não funciona bem, o Estado não funciona bem”, da presidente
do STF, Cármen Lúcia, ao defender a liberdade de expressão.

Liberado – AGU e Eletrobras
reverteram liminar que suspendia a entrega de distribuidoras de energia
controladas pela estatal. A venda não tem data marcada.

Pré-candidato

O diretório estadual do partido Rede Sustentabilidade
aprovou a pré-candidatura do subprocurador-Geral do Trabalho, Edson Braz da
Silva, ao governo de Goiás. É o sexto nome confirmado na disputa até agora.

Composição

A chapa majoritária da Rede conta ainda com as
pré-candidaturas de Lília Monteiro (vice-governadora), e Aguimar Jesuíno,
Orlando Alves e Gilberto Farias, que pretendem buscar vaga no Senado.

Combate ao gato

A Enel Distribuição, em parceria com a Polícia Militar,
realizou ontem operação de desligamento de rede clandestina em Goiânia,
Anápolis, Luziânia, Águas Lindas e Jataí.

Estrutura

Durante a ação, foram fiscalizados comércios de médio e
grande porte e residências, para identificar irregularidades na medição de
energia. Foram desligadas em torno de 1 mil ligações clandestinas na operação
contou que com 10 viaturas da PM, oito caminhões e 32 carros.

Segurança

O presidente Michel Temer sancionou a lei que cria o Sistema
Único de Segurança Pública (SUSP) e assinou medida provisória que direciona
parte da arrecadação das loterias federais esportivas para gastos de combate à
violência e criminalidade.

Funcionamento

O SUSP integra informações de inteligência e sobre
criminalidade e padroniza a formatação de dados como registros de ocorrência.
As atuações das polícias civil e militar devem passar a ocorrer de forma
conjunta com forças federais.

Compartilhe: