Quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

Coluna

Prefeitos à espera de Caiado com pedidos de obras e apoio

Publicado por: Wilson Silvestre | Postado em: 23 de janeiro de 2023

A partir de 1º de fevereiro, quando tem início o período legislativo e as tratativas políticas efetivamente passam a focar 2024, começa o ano eleitoral para candidatos a prefeitos e vereadores. Embora muitas conversas já foram alinhavadas durante a eleição em 2022, aliados querem mesmo é o apoio de Ronaldo Caiado (UB). Por menor ou maior que seja o município, ter o governador como parceiro administrativo e político, significa meio caminho andado para conquistar estrutura e aliados. A exceção fica por conta da oposição que tem a missão de ‘desconstruir’ o adversário. Soma-se ao pelotão de aliados, senadores, deputados federais e estaduais, alguns deles também candidatos a prefeitos. Até ai, a toada está no prumo, mas enquanto o governador não tiver “um dedo de prosa” com esses aliados, as conversas serão apenas, intenções de apoios. Só que, neste primeiro momento, a preocupação do governador é com os compromissos feitos junto ao cidadão-eleitor durante a campanha. Não à toa que a primeira mudança em sua equipe, foi deslocar o “curinga gestor-político”, Pedro Sales para a secretaria de Infraestrutura. É por esta pasta que o governador vai ajudar seus aliados com obras importantes para os municípios.

 “Oposição não se une em Alexânia”

“A oposição [em Alexânia] ainda não tem um nome certo e por enquanto não vejo possibilidade de um consenso em torno de um único candidato”, conta uma liderança política do município sobre a disputa pela prefeitura em 2024. O atual prefeito, Allysson Silva Lima (PP) está no segundo mandato e deve apoiar o vereador Mateus Henrique (PP), licenciado para assumir a Secretaria de Obras. Na oposição tem vários nomes mas não se une e, divididos, favorece o candidato do prefeito.

Continua após a publicidade

Jataí terá 15 vereadores

Por vários anos a Câmara de Vereadores de Jataí, no Sudoeste goiano, manteve só 10 vereadores. De acordo com o IBGE, o município tem mais de 100 mil habitantes, portanto, poderia ter até 17 vereadores. Agora vão ampliar para 15 e, por consequência, acaba a devolução do duodécimo que ocorre todos os anos à prefeitura.

Major Davi prefeito

O ex-vereador por Jataí, Major Davi Pires – sua patente é coronel da reserva da PMGO – afivela as malas para disputar a prefeitura de Rio Doce onde a família tem fazenda. “Será uma disputa política do tostão contra o milhão já que o grupo que comanda a prefeitura, tem arsenal financeiro”, brinca Davi.

Longe da política

Ao encerrar seu mandato em 31 de janeiro, o deputado estadual Zé Carapô (Pros) disse à coluna que vai dedicar aos negócios e passar longe da política. A aposta é se ele resiste, dizem que a política só tem uma porta de entrada e não tem saída. A conferir.

Foco no mandato

Deputado estadual eleito, Gugu Nader (Agir), por enquanto não definiu se será candidato a prefeito em 2024. “Vou focar no meu mandato e buscar o melhor para Itumbiara, mas mantendo constantes conversas com a população sobre a gestão do atual prefeito, Dione Araújo (UB). O povo é que decide”.

Divisão preocupa

Se não bastasse as tensões com a demissão do comandante do Exército, general Júlio César de Arruda, mais uma encrenca preocupa aliados do presidente. O ex-ministro Nelson Jobim não esconde suas críticas ao governo Lula por adotar a campanha “sem anistia”. Jobim acredita que uma campanha de retaliação tende a aumentar a divisão do país.