Coluna

Recuperação “não passará” na Alego, avalia Lissauer Vieira

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 02 de agosto de 2019

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira
(PSB), avalia o ânimo dos deputados da base e da oposição ao governo de Ronaldo
Caiado (DEM) para definir: como apresentadas até agora, as medidas para o
ingresso de Goiás ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) não serão aprovadas. O
governador adiantou, há duas semanas, que aguardava apenas o retorno dos
trabalhos na Alego para enviar as propostas. No entanto, além da inviabilidade
política, não há definição interna no governo sobre como as contrapartidas
seriam estabelecidas. Critérios econômicos e jurídicos ainda são estudados,
como antecipado pela Xadrez. “Acho muito difícil. Da forma como está, não passará.
Vai ter muita dificuldade. Nós vamos abrir o debate, que é minha obrigação como
presidente da Casa, mas a decisão vai ficar a cargo dos deputados aprovarem a
adesão ou não”, define.

Proposta zero

O presidente da Alego sugere, no entanto, que Caiado
converse com “outros poderes, a sociedade e o setor produtivo” para buscar
“alguma alternativa”. Não adianta, porém, nenhuma nova ideia para a solução dos
problemas.

Em conversa

“A minha proposta é discutirmos de forma ampla e depois
apresentarmos uma proposta alternativa para o governo. O RRF, com as medidas
duras e sem flexibilidade, é pouco provável que seja aprovado”, confirma.

Relacionamento

Depois de afastamento no início do ano e aproximação ao
longo de segundo semestre, a relação de Lissauer com Caiado voltou a ser apenas
“protocolar”, depois do recesso.

Estudos

O governador Ronaldo Caiado teve reunião durante a tarde da
última sexta-feira (02) com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia
(DEM). O carioca chegou e saiu sem abrir o bico.

Auxílio

Durante a conversa, pautada pela busca de soluções para
crise financeira nacional e estadual, foram convocados os secretários Wilder
Morais (Indústria e Comércio), Cristiane Schmidt (Economia) e Juliana Prudente
(PGE).

Segurança

Decisão da juíza Zilmeni Gomide Manzolli proíbe o Estado de
receber novos detentos na Casa de Prisão Provisória (CPP) em Aparecida de
Goiânia. Ao menos até a abertura de novas vagas.

Crise constante

A decisão atende a um pedido do Ministério Público e determinou
reserva de recursos do tesouro para o Fundo Especial do Sistema Prisional de
Execução Penal, a serem usados para obras de ampliação de vagas.

Resposta

O reitor da UFG, Edward Madureira, publicou nota em que
rejeita as propostas do programa “Future-se” e garantiu lutar para manter a
autonomia da instituição.

CURTAS

– Bolsonaro deve confirmar o procurador Ailton Benedito na
Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos.

– Aparecida de Goiânia recebe neste fim de semana a 2ª etapa
do Campeonato Brasileiro de bicicross.

– Além de sediar a competição, o no Parque da
Criança, Jardim Mansões Paraíso, é opção de lazer para a população.  

Compartilhe: