Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Coluna

Relator articula alternativa para emendas impositivas para 2019

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 24 de outubro de 2018

O relator do orçamento de 2019 na Assembleia Legislativa,
estadual Lívio Luciano (Podemos), considera alternativas para o cumprimento das
emendas impositiva. O objetivo de agradar tantos os deputados aliados ao atual
governo, que exigem a manutenção do pagamento já no primeiro semestre, e os
caiadistas, que avaliam a crise financeira do estado e buscam aprovar PEC que
prorroga a execução da medida. O tema será tratado em reunião entre presidente
da Casa, José Vitti (PSDB), e o governador eleito, Ronaldo Caiado (DEM), na
próxima semana, em data a definir. “Comecei a conversar com os deputados e até
alguns da futura oposição trouxeram ideias considerando inclusive escalonar o
pagamento, mas tudo que seria objeto de uma PEC que tramitaria ainda neste
ano”, afirma o relator. A proposta mais provável é pagamento das emendas apenas
no segundo semestre de 2019. “É preciso que os deputados da oposição a Caiado
se coloquem no lugar do novo governo. Com certeza, chegaremos a um acordo nas
próximas semanas”.

Índices

Continua após a publicidade

Não há discussão, porém, sobre a possibilidade de se reduzir
o índice a ser aplicado sobre a receita do estado para a divisão entre as
emendas dos 41 deputados. O patamar é de 1,2%, o que representaria R$ 7,6
milhões para as bases de cada um.

À frente

Têm encabeçado a defesa do cumprimento invariável das
emendas os deputados José Vitti (PSDB) e o principal candidato a próximo presidente
da Casa, Álvaro Guimarães (DEM), que faz do tema sua plataforma de campanha
entre os colegas.

Democracia garantida

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair
Bolsonaro, negou que seja o “anticristo” e que represente ameaça à democracia.
A afirmação foi uma resposta à pergunta sobre a sugestão do filho dele,
deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que bastam um cabo e um soldado
para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF). Durante entrevista à Rádio
Guaíba, de Porto Alegre, Bolsonaro minimizou a repercussão do vídeo em que o
filho aparece sugerindo que é fácil fechar o STF, bastando levar um cabo e um
soldado. O candidato disse que houve um “superdimensionamento do caso”. “Nós
não somos ameaça à democracia, é exatamente o contrário, nós somos a garantia
da democracia. E outra, o que meu filho falou foi há quatro meses atrás,
existia um outro clima no Brasil.” O candidato também reduziu a “mentira” e
“bala de festim” as denúncias sobre a existência de um grupo de empresários que
financiou o envio em massa de mensagens baseadas em notícias falsas, com foco anti-PT,
pelo WhatsApp.

CURTAS

Seleção
Bolsonaro se negou a responder a perguntas do jornalista Juremir Machado, tido
como “esquerdista”. Em protesto, o comunicador pediu demissão ao vivo.

Repetição – Auditorias
em urnas eletrônicas de cinco estados, após queixas de eleitores, concluíram
que não há indícios de fraude no primeiro turno.

Abertura – A Justiça
Eleitoral afirma que as urnas estavam “em perfeitas condições de uso e
funcionamento”, e que “não houve nenhum indício de fraude ou defeitos”.

Mini férias

A futura primeira-dama do estado venceu a queda de braço
(como era de se esperar) e o governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) tirou os primeiros
dias de descanso com a família. Os detalhes são mantidos com discrição.

Enquanto isso

A transição de governo segue sob coordenação do senador
Wilder Morais (DEM) e do prefeito de Catalão, Adib Elias (MDB). Também é
tratada com prioridade a atuação do vice, Lincoln Tejota (PROS), que busca construir
a base na Assembleia Legislativa.

Muito agradecido

O governador José Eliton (PSDB) realizou ontem a segunda
reunião de agradecimento com deputados estaduais de sua base depois da derrota
no primeiro turno. Desta vez, valorizou o comprometimento nas votações de
projetos.

Momento

“Vivemos um momento difícil e atípico no País, mas devemos
sempre olhar para o futuro, e continuarmos a construir uma agenda positiva para
Goiás”, afirmou o governador na conversa com os parlamentares.

Verba liberada

O Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) aprovou 44
cartas-consultas do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Dos R$ 182,06
milhões pleiteados, foram liberados R$ 159,48 milhões. Os recursos vão gerar
520 empregos diretos em Goiás.

Privado

O FCO Rural liderou os pedidos com 40 cartas-consultas.
Entre elas, o recurso liberado para a empresa Caçu Comércio e Indústria de
Açúcar e Álcool Ltda, de Vicentinópolis, deve gerar 250 empregos diretos.