Sexta-feira, 27 de janeiro de 2023

Coluna

Sem maioria no Congresso, Lula tenta segurar votos do MDB e UB

Publicado por: Wilson Silvestre | Postado em: 20 de janeiro de 2023

O presidente Lula ponto 3 e seus escudeiros, não têm economizado salivas em busca de uma maioria parlamentar no Congresso, principalmente na Câmara Federal. Até agora, pelas contas dos palacianos, ainda faltam 100 votos para se ter uma garantia que não haverá surpresas na hora de votar projetos do interesse do executivo. Mesmo com muito empenho, mais dois problemas apareceram no caminho: o MDB que tem Renan Calheiros, Jader Barbalho, Simone Tebet e Onício Oliveira como aliados do presidente Luiz Inácio Lula, ensaia uma rebelião. A ala paulista ligada ao ex-presidente Michel Temer, não esconde que pode “pintar para a guerra em plenário”. Essa encrenca, criada pelo próprio PT que insiste em revisar o processo de impeachment de Dilma Rousseff e marcar no inconsciente de massa que “Temer é um golpista”, está com “gosto de sangue na boca e a faca entre os dentes”. Ou seja, quer vingança. Quanto ao União Brasil, a ‘rebeldia’ é por conta do ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes. O ministro indicado pelo senador Davi Alcolumbre não agrada os deputados que insistem em terem um nome ligado à Câmara. Se continuar nessa toada, Lula terá que encostar a barriga no balcão e negociar caso a caso. Se não houver acordo, só restará a Lula procurar os governadores Ronaldo Caiado (Goiás), Mauro Mendes (Mato Grosso), Wilson Lima (Amazonas) e Marcos Rocha (Rondônia) para ajudar nas votações.

 “Estranho no ninho”

A turma mais raivosa do PT não engole o fato de União Brasil ter apoiado Jair Bolsonaro (PL) e agora ter dois ministérios. Os “raivosos” vêm os ministros como “estranhos no ninho”. Como não podem contrariar Lula, trabalham nos bastidores para ‘descontruir’ os ministros, principalmente a do Turismo, Daniela do Waguinho (RJ). O presidente do UB, Luciano Bivar coloca “panos quentes” para melhorar o ambiente e, em fevereiro, iniciar a legislatura unidos. 

Continua após a publicidade

Caiado no batente

Por recomendações médicas, o governador Ronaldo Caiado só volta à jornada diária de trabalho a partir do dia 23, mesmo assim, tem tido alguns despachos burocráticos e recebido algumas lideranças. A expectativa é que na terça-feira (25) volte a conversar com lideranças e auxiliares.

Agir independente

Os dois deputados estaduais do Agir, Rosângela Rezende e Gugu Nader vão ter atuação independente na Alego em relação ao governo de Ronaldo Caiado. De acordo com Gugu, eles apoiam a eleição de Bruno Peixoto (UB) e deve ter a quarta secretaria da Mesa Diretora.

Convites a Yvelonia

A ex-secretária Secretária Nacional de Assistência Social do Ministério das Cidades, Maria Yvelonia (Republicanos) não tem nada a reclamar sobre desemprego. Até agora, ele já recebeu quatro convites para trabalhar em outros estados, no entanto, por ser funcionária de carreira do Distrito Federal, aguarda os trâmites burocráticos para saber qual será seu destino profissional.

Conexão com o DF

Prefeito de Novo Gama, no Entorno de Brasília, Carlinhos do Mangão (PL) mantém uma constante linha de comunicação com lideranças do DF, principalmente parlamentares. Um destes aliados, é o deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos). “Um grande parceiro que nos ajuda muito”, diz Mangão.

Autonomia mantida

O ‘xerife do PT’, ministro da Justiça e Segurança, Flávio Dino (PSB-MA) garantiu aos senadores Leila do Vôlei (PDT) e Izalci Lucas (PSDB) que tiveram audiência com ele, que não haverá intervenção no Distrito Federal e muito menos corte no repasse constitucional. A autonomia está garantida.