Coluna

Tensão pode dificultar eventual diálogo entre MDB e DEM

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 16 de julho de 2018

A constante troca de farpas e de críticas diretas e
indiretas tem tensionado gradativamente a relação, que já foi próxima, entre os
pré-candidatos Daniel Vilela (MDB) e Ronaldo Caiado (DEM). 

Com a aparentemente
irreversível divisão para a disputa do primeiro turno, aliados de ambos avaliam
que, de fato, os desgastes dificultarão conversas para eventual apoio de um a
outro num segundo turno, marcado para o dia 28 de outubro. “Acho que política é
a arte do diálogo. 

É claro que, às vezes, o tom se eleva, mas isso faz parte da
vida pública. Se for possível, será construída a convergência lá na frente”,
avalia o prefeito de Formosa, o caiadista Ernesto Roller (MDB). 

“A primeira
hipótese com que trabalhamos é que o MDB venha a apoiar Caiado num eventual
segundo turno. O ideal é vencer no primeiro, porque a gente sabe o quão
desgastantes são as articulações para o segundo turno. Caso tenha, é conversar,
estabelecer pontos comuns. A postura de agora, em que cada um defende sua
ideia, não significa um fechamento de portas”, acredita.

Dissidência

Roller responde se a dissidência caiadista no MDB perdeu
força frente à pré-candidatura de Daniel Vilela. “Óbvio que não. Em números,
tivemos o anúncio do prefeito de Pilar de Goiás. O sentimento na base do MDB é
de caminhar com Caiado”.

Novos aliados

Depois da adesão de Lincoln Tejota (PROS), o prefeito aponta
que “a chapa majoritária está fechada, mas a campanha está aberta para
conversas com outros partidos para alinhavar pontos comuns”.

Presidente nuclear

O Palácio do Planalto elaborou proposta de programa para ampliar
a geração de energia nuclear no país, aumentar a exportação de urânio e
dinamizar a mineração do setor. O crescimento do uso de energia atômica divide
especialistas e ambientalistas. O documento, acessado pelo jornal Folha de S.
Paulo, , foi produzido pelo Comitê de Desenvolvimento do Programa Nuclear
Brasileiro (CDPNB), organismo vinculado ao Planalto e criado em 2008, durante o
segundo mandato do ex-presidente Lula, e alterado em 2017, no governo de Michel
Temer (MDB). 

Há um ano, o presidente passou a coordenação do comitê da Casa
Civil para o general Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do GSI (Gabinete de
Segurança Institucional). O comitê é formado por representantes de onze
ministérios. O general quer entregar o novo PNB (Programa Nuclear Brasileiro) ao
Congresso até o fim deste ano, na forma de um projeto de lei. O militar tem
dito que gostaria de construir várias usinas nucleares em diferentes partes do
país e retomar a construção da usina de Angra 3.

CURTAS

Onde? – A
proposta não detalha quantas e quais seriam as futuras usinas, mas equipes visitaram
com fornecedores locais em Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.

Toque de caixa – O
governo federal corre contra o tempo para tentar vencer guerra judicial e
manter a privatização das distribuidoras de energia da Eletrobras.

1ª Edição – O
Festival Música na Serra Dourada publicou a lista de 25 selecionados para os
cursos que serão realizados na Cidade de Goiás entre os dias 8 e 12 de agosto.

Nada a ver

O vereador Jorge Kajuru, pré-candidato ao Senado, nega
qualquer interferência da direção nacional (Anthony Garotinho) na aliança do
PRP com o DEM em Goiás. Garantida mobilização do partido para o anúncio da
pré-candidatura nesta terça (17).

Monitoramento

Juízes federais corregedores de presídios da União articulam
o endurecimento de regras nas unidades por uma nova lei. A intenção é melhorar
o sistema de monitoramento sobre a vida de criminosos perigosos fora das
prisões.

Ferramentas

Os magistrados entregaram ao Ministério da Segurança Pública
a proposta de uma lei que permita, entre outros pontos, autorização para
gravar, em áudio e vídeo, conversas entre familiares, amigos e presos no
parlatório.

Prioridade

Pesquisa do Ibope aponta que saúde, segurança pública e
educação são as áreas consideradas pela população goiana. O levantamento foi
contratado pela Associação Pró‐Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás
(Adial).

Índices

Os entrevistados podiam escolher até três opções do questionário
apresentado. Saúde liderou a lista, com 69%. Na sequência, segurança pública,
que foi indicada por 47% dos ouvidos, e educação teve 33% das manifestações.

Aos tucanos

A decisão do empresário Flávio Rocha (PRB) de desistir da
corrida ao Planalto abriu caminho para Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB,
atrair o PRB para seu palanque. Em Goiás, o partido segue entre José Eliton
(PSDB) e Ronaldo Caiado (DEM).

Compartilhe: