Coluna

Tom da campanha no 2º turno depende da recuperação de Maguito

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 16 de novembro de 2020

Venceslau Pimentel 

A
coordenação da campanha de Maguito Vilela adianta que continuará, no segundo
turno, discutindo propostas positivas para a cidade, por entender que política
eleitoral de ataque é prejudicial a quem ataca. Por sua vez, Vanderlan Cardoso,
que perdeu a liderança, informa que não se aproveitará da piora da saúde do
emedebista para traçar estratégia. Garante que vai se pautar pelo respeito ao
adversário e à sua família, deixando de lado a subida de tom nas críticas que
ele já havia programado, conforme os últimos posts nas redes sociais. Dizia,
por exemplo, que mostraria quem era ficha limpa e ficha suja, entre outros
casos envolvendo Maguito. 
 

Para depois 

A aflição dos aliados de Maguito, pelo agravamento do estado de
saúde dele, fez suspender a comemoração previamente marcada para depois da
apuração. 
 

Na torcida 

A euforia deu lugar à preocupação, no final da tarde deste
domingo, com o novo boletim divulgado pelo Hospital Albert Einstein, em São
Paulo, onde o candidato se encontra internado desde o dia 27 de outubro, de que
houve piora na inflamação dos pulmões.  
 

Indefinido 

Na terceira colocação, Adriana Accorsi agradeceu ao PT e ao
eleitor, pelos votos conquistados, mas não se posicionou se o partido ficará
isento no segundo turno. Mais cedo, lamentou a piora na saúde de Maguito no
momento em que se celebra a festa da democracia.
 

Para 2022 

Parte do desânimo de Iris Rezende, que não participou da campanha
do MDB, pode ser atribuído ao fato de ter defendido a prorrogação dos mandatos
de prefeitos e de vereadores até 2022, em conversa com deputados federais.
Garantiu que não o fez em causa própria, mas por falta de contato dos
candidatos com o eleitor. 

Comemoração 

Teve foguetório em Aparecida de Goiânia, com a reeleição do
emedebista Gustavo Mendanha, no primeiro turno, antes mesmo de apuração total
dos votos no município. Márcia Caldas (Avante), apoiada por Ronaldo Caiado,
registrou menos de 5% dos votos válidos. 
 

Campo adversário 

Se, por via inversa, o governador se sente vitorioso com a eleição
da Pábio Mossoró (MDB), em nome da derrota da tucana Lêda Borges, em
Valparaíso, ele tem a comemorar com nomes próprios do Democratas. 

Nome próprio 

O DEM de Caiado venceu em cidades como Paraúna, Piracanjuba,
Turvânia, Caiapônia, Hidrolândia, Itajá, Firminópolis, Baliza, Perolândia, Vila
Boa, Itauçu, Jaraguá, Simolândia e Bom Jardim de Goiás. 

Superação 

Considerados como dissidentes do MDB, por terem apoiado Ronaldo
Caiado nas eleições de 2018, os prefeitos Adib Elias (Pode) de Catalão, Fausto
Mariano (DEM) de Turvânia e Paulo do Vale (DEM) de Rio Verde foram
reeleitos. 

Curtas 

– Dos 34 vereadores que disputaram a
reeleição em Goiânia, apena 13 foram reeleitos. Campeão de votos, Izaías
Ribeiro teve com 9.323 contra 37.796 de Jorge Kajuru, em 2016. 

– Com menos de 1% dos votos válidos, a votação de Talles Barreto
confirma a perda de musculatura política do PSDB de Marconi Perillo. 

 

Compartilhe: