Coluna

Zacharias Calil critica falta de medicamentos em Goiás

Publicado por: Sheyla Sousa | Postado em: 02 de julho de 2020

O deputado federal e médico Zacharias Calil (DEM) reforçou
ontem a urgência da demanda por medicamentos nos hospitais que atendem a rede
em Goiás. Apesar de reconhecer que a escassez dos produtos ocorre por conta da
alta procura em meio ao crescimento de casos de Covid-19 em Goiânia, o
parlamentar aponta que o governo deve tomar providência, antes do colapso do
sistema. “A falta destes medicamentos pode ser um problema muito sério e vai
chegar a um momento que a saúde vai entrar em colapso, quando nós vamos ter uma
estrutura boa, com respiradores e aparelhos suficientes, mas não vamos ter como
manter o paciente, porque não há medicamento sedativo para o tratamento”,
denuncia. Na última atualização, a Secretaria de Estado da Saúde apontou que há
estoque apenas para até o fim desta semana. Zacharias ainda aponta que “é
importante investigar o alto preço dos medicamentos”. 

Pelo país

O deputado federal José Nelto (Podemos) protocolou projeto
de lei que prevê instituição de gratuidade no transporte interestadual para os
profissionais de saúde, durante a pandemia do coronavírus.

Argumentos

Segundo o parlamentar, existe uma disparidade no sistema de
saúde brasileiro e na distribuição de mão de obra profissional entre as regiões
do país, o que acaba obrigando o deslocamento dos profissionais.

Transferências

“Por isso, queremos dar essa contribuição singela a esses
guerreiros que estão na linha de frente no combate ao coronavírus”, defende
Nelto.

Agenda de debate

A revisão do Plano Diretor de Goiânia será tema de duas
audiências públicas na próxima semana, na terça (07) e quinta-feira (09). Em
meio à pandemia e para viabilizar participação popular, a reunião ocorre de
forma virtual.

Fiscalização

A Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ) e a coordenadoria de
Saúde do Centro de Apoio Operacional do Ministério Público enviam orientações
para promotores atuarem sobre adesão ou não ao decreto de isolamento de 14 por
14 dias.

Critérios

Recomendação é para que os promotores avaliem, com
autonomia, os critérios e estudos científicos que embasem decisões municipais
diferentes do fechamento intermitente definido pela medida do governo estadual.

Adesão baixa

Dos 10 maiores municípios goianos, apenas dois (Goiânia e
Senador Canedo) decidiram repetir as definições do governador Ronaldo Caiado
(DEM). A cidade de Rio Verde já adotava escalonamento de 14 dias antes do
decreto.

Divergências

Anápolis e Trindade rejeitaram o fechamento, enquanto
cidades do entorno do DF confirmam lockdown em fins de semana, entre 15h de
sábado e 00h de segunda-feira.

CURTAS

– A direção da OAB/GO conseguiu liminar na Justiça para manter
funcionamento de escritórios de advocacia em Goiás.

– Enquanto isso, o número de novos casos de covid-19 em
Goiânia acumulou aumento de 353% ao longo do último mês de maio.

– O governador Ronaldo Caiado decidiu tirar Silvio Fernandes
da presidência do Ipasgo e o transferiu para cargo na Codego.

 

Compartilhe: