Tradicional em Manaus, Carnaboi mistura carnaval e folclore amazonense

Postado em: 08-02-2016 às 10h23
Por: Redação
Um dos eventos mais tradicionais do carnaval de Manaus, o Carnaboi, será realizado nesta segunda-feira (8)

A festa é uma mistura de carnaval com as
toadas, ritmo do folclore amazonense, que pode ser conferido todos anos no
Festival de Parintins e no Festival Folclórico do Amazonas.

Em 2016, o Carnaboi volta a ser feito no
sambódromo. A Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas informou que a
mudança atende a um pedido do público e dos representantes dos bois bumbás Caprichoso
e Garantido e dos levantadores de toadas dos bois de Manaus: Brilhante,
Corre-Campo e Garanhão. No ano passado, o evento foi descentralizado para as
cinco zonas da capital amazonense.

“O público que clamou o retorno ao
sambódromo. O evento foi testado em 2015 fora do sambódromo e não vingou. Em
uma pesquisa de opinião pública que vários artistas e os bois fizeram todos
clamaram pela volta do sambódromo no estilo de palco. Tudo o que foi decidido
foi em comum acordo com a Secretaria de Cultura”, conta o presidente do boi
Corre-Campo, Alvacir Siqueira.

A organização promete um Carnaboi com
formato inovador: um palco giratório. Para Alvacir, a nova infraestrutura vai
dar mais agilidade aos shows e menos tempo de espera entre uma apresentação e
outra. “Também foi um pedido nosso pra não se parar o show. Enquanto um artista
ou boi está se apresentando, o outro já está passando o som no palco de trás. E
assim que girar, fica um show praticamente contínuo. Vai ser meio que direto.
Terminou um, gira e começa outro”, explica Alvacir.

O público vai poder se divertir de graça
durante 10 horas com os boi-bumbás e artistas como Arlindo Júnior, Sebastião
Júnior, Israel Paulain, Márcia Siqueira, Carlinhos do Boi, Canto da Mata, David
Assayag, entre outros.

A Secretaria de Cultura do Amazonas
informou que não haverá este ano a venda de tururís, camisas personalizadas de
cada artista do Carnaboi. As torcidas poderão vestir as cores de seus bois
preferidos. O presidente do boi Corre-Campo, Alvacir Siqueira, disse ainda que
a medida foi adotada para conter gastos por causa da atual crise econômica. A produção de tururís costumava ser feita por
meio de licitação. (Agência Brasil)

Foto: reprodução

Compartilhe: