Corredor de ônibus está liberado para veículos

Postado em: 22-03-2016 às 13h00
Por: Sheyla Sousa
A medida que visa otimizar o fluxo de carros na Avenida T-63 tem validade até o final de abril

Flaviane Barbosa

Desde ontem o corredor exclusivo para passagem de ônibus situado no trecho da Avenida T-63 foi liberado para o tráfego de veículos particulares. De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (SMT), a iniciativa tem o intuito de diminuir os conflitos de trânsito causados pela obra da ciclovia que será implantada entre a Praça Nova Suíça e Avenida Circular, no Setor Pedro Ludovico. A obra teve início no dia 29 de fevereiro com previsão de término no final de abril. A liberação da passagem de veículos particulares no trecho vale até o final da obra.

Segundo André Luiz Azevedo, diretor de fiscalização de trânsito da SMT, a Avenida T-63 é uma via de grande porte e a demanda de veículos é muito grande. Depois que o período chuvoso acabou o número de funcionários trabalhando na obra aumentou e consequentemente o trânsito ficou mais lento por conta da ocupação da via. Com a liberação do corredor, o motorista tem mais uma opção de tráfego e a expectativa é que o trânsito flua melhor. O diretor deixa claro que os motoristas estão isentos do registro de infração com relação à circulação no corredor exclusivo para ônibus durante a obra. As demais infrações como excesso de velocidade, avanço de semáforo e parada na faixa de pedestres serão pontuadas normalmente. A velocidade máxima permitida na Avenida é de 60 km/h.

Expectativas

Gleydson Pereira Dantas, 34,  orientador de estacionamento de uma farmácia situada na Avenida em obra é que a situação do trânsito melhore. Ele conta que o tráfego de veículos ficou muito lento depois que as obras começaram. As pessoas costumam estacionar em nosso estabelecimento para irem a outros lugares com intenção de evitar o trânsito. Ele acredita que a liberação do corredor de ônibus trará melhorias para o fluxo no local.

Fábio dos Santos Melo, 29, é motoboy e utiliza a via da T-63 praticamente todos os dias. Ele relata que as obras atrapalharam a mobilidade dos veículos. Ele costuma sair mais cedo de casa para não ter problemas com o trânsito. Fábio acredita que a liberação do corredor de ônibus vai trazer melhorias no fluxo de veículos e nas atividades das pessoas.  

A promotora de vendas, Eliete Santos da Rocha, 20, diz que por causa da lentidão do trânsito, fica com medo de ir embora para casa. Ela trabalha em uma loja de conveniência na Avenida-T-63 e conta que o ônibus que pega está passando atrasado. “tenho medo de ser assaltada, porque o ônibus que teria que chegar às 22h20, mas aparece às 23 horas”. Ela espera que com a mudança possa pegar o ônibus no horário de sempre.

Benefícios

Questionado sobre a mudança no fluxo dos ônibus, Sávio Afonso, diretor técnico da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), explica que a é natural que a obra interfira na velocidade comercial dos coletivos durante o período dela. Ele pontua que é preciso relevar a interferência no desempenho operacional dos ônibus, pois é por uma boa causa. Para Sávio, quando a obra for concluída, a cidade terá menos poluição cada vez que um habitante escolher andar de bicicleta ao invés de sair de carro ou moto. “Esse período de sacrifício terá uma compensação futura infinita”. Além da CMTC, A Companhia de Urbanização de Goiânia (COMURG) e a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) estão em parceria na obra.

 

Compartilhe: