Taxistas de Goiânia protestam pela regulamentação do Uber

Presidente do Sinditáxi se reuniu com procurador-geral do MOP, onde carros estão concentrados.

Postado em: 30-08-2016 às 18h10
Por: Toni Nascimento
Presidente do Sinditáxi se reuniu com procurador-geral do MOP, onde carros estão concentrados.


Milleny Cordeiro

Taxistas de Goiânia e Região Metropolitana, além de mototaxistas, se mobilizam nesta terça-feira (30) contra o transporte clandestino e pela regulamentação do Uber. O protesto iniciou às 11h e, de acordo com informações do Sindicato dos Táxistas de Goiânia (SindiTáxi), cerca de 300 motoristas participaram do ato. A concentração foi na Rodoviária de Goiânia, de onde os manifestantes partiram com destino à sede do Ministério Público de Goiás (MP-GO), no Jardim Goiás.

O objetivo, de acordo com o vice-presidente do Sinditáxi, Júlio Soares, é pedir uma posição das autoridades competentes em relação ao transporte irregular e clandestino que atua em Goiânia e demais regiões. O foco das reivindicações está sob o serviço prestado pelo Uber. Os taxistas exigem a regulamentação do transporte para que a concorrência exista de forma justa.

Continua após a publicidade

Nesse sentido, o vice-presidente do SindiTáxi e mais um grupo de oito manifestantes se reuniram com o procurador-geral do MP, Lauro Machado Nogueira, no início da tarde de ontem. Na ocasião, ofícios que exigem a regularização dos motoristas do Uber foram entregues à Nogueira. Além disso, os manifestantes pediram apoio em favor da suspensão da recomendação dada à Prefeitura de Goiânia pelo promotor Fernando Krebs, que proíbe a aplicação de multas e apreensão de carros do Uber.

De acordo com Júlio Soares, o pedido de afastamento de Krebs foi rejeitado pelo MP, no entanto, o procurador não deixou de dar as orientações necessárias aos manifestantes. “A recomendação dada por Krebs fica sob responsabilidade da prefeitura, que pode acatá-la ou não. Então, precisamos reivindicar junto ao prefeito uma posição em relação à ilegalidade em que trabalham os motoristas do Uber”, afirma Soares.

Porém, ainda segundo Soares, o contato com a prefeitura não ocorre efetivamente. “O prefeito Paulo Garcia não atende a categoria, e a orientação do procurador é que esperemos as eleições para falar com o próximo prefeito sobre a situação”, diz. O próximo passo dos motoristas é procurar por um advogado e entrar com um pedido judicial pela regularização dos carros do Uber.

Projeto de Lei

A tramitação do projeto de lei sobre a regulamentação do Uber está parada na Câmara Municipal de Goiânia por tempo indeterminado. De acordo com Soares, o texto segue as mesmas orientações presentes no projeto de regulamentação que entrou em vigor recentemente em Vitória, no Espírito Santo. Segundo Júlio Soares, o texto cobra a identificação dos carros com placa vermelha, exige curso de qualidade para os motoristas, como primeiros-socorros e direção defensiva, entre outras medidas. “Temos que resolver essa situação, enquanto o Poder Público permanecer omisso as duas categorias continuarão em conflito”, afirma Soares.

Veja Também