Jardim Botânico terá ciclofaixa

Em fase de obras, a rota visa garantir um espaço seguro para a circulação dos ciclistas todos os dias da semana por 24 horas por dia

Postado em: 02-09-2016 às 06h00
Por: Redação
Em fase de obras, a rota visa garantir um espaço seguro para a circulação dos ciclistas todos os dias da semana por 24 horas por dia

Da redação

Uma nova ciclofaixa está sendo construída ao longo do parque ambiental Jardim Botânico. Em fase de obras, a rota visa garantir um espaço seguro para a circulação dos ciclistas todos os dias da semana por 24 horas por dia. Com a implantação da ciclofaixa, o trânsito na região está sendo readequado e, a partir do dia 11 de setembro, o entorno do parque terá circulação em mão única, acompanhando o sentido da ciclofaixa.
A nova ciclofaixa vai ampliar o roteiro de integração entre os parques de Goiânia. Os ciclistas poderão percorrer os trechos entre os parques Vaca Brava, Areião, Lago das Rosas, Jardim Botânico e Parque Flamboyant, que, de acordo com a Prefeitura de Goiânia, será o próximo a receber uma ciclofaixa.
Além disso, a nova ciclofaixa também aumentará a zona integrada dos trechos cicloviários aos terminais de ônibus – Bíblia, Isidória e Bandeiras, pelas ciclovias dos corredores Universitários e T-7 e as ciclorrotas ligando a T-7 à T-63 e, finalmente, a ligação entre a T-63 ao Jardim Botânico.
As obras da ciclofaixa estão sendo executadas pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) e as secretarias municipais de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), Infraestrutura (Seinfra) e Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Projeto
O diretor técnico da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Sávio Afonso, explica que os projetos dos trechos cicloviários foram construídos pelos técnicos da Prefeitura em conjunto com cicloativistas, urbanistas e arquitetos da cidade. “As ligações viárias prezam os pólos geradores de demandas de circulação, como comércio, unidades educacionais, pontos culturais e os terminais de ônibus”, disse. 
Outra obra em andamento é a ciclovia da Avenida Couto Magalhães, que terá 420 metros. A previsão é que a obra termine no início de outubro. Ao contrário do que aconteceu em outras vias que tiveram árvores completamente podadas ou substituídas por de menor porte, a obra na Couto Magalhães deve respeitar a vegetação local. De acordo com a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), foi autorizada a retirada de três árvores, mas Afonso afirma que a CMTC trabalha para que este tipo de intervenção não seja necessária.
De acordo com a CMTC, a via terá revitalização completa, com iluminação especial e bancos, “transformando-se, assim, em um espaço que a população possa desfrutar melhor”. Para fazer o projeto, a Alameda Couto Magalhães recebeu equipes que inspecionaram as condições fitossanitárias das árvores do trecho, para planejar plantio de árvores para preenchimento dos espaços em falta de vegetação.

Continua após a publicidade

Aumentar
Um ano após a implantação da ciclofaixa entre os parques Areião, Vaca Brava e Lago das Rosas, CMTC e SMT estudam ampliar o tempo de exclusividade das bicicletas nas vias. Afonso afirma que os órgãos estão fazendo levantamento dos horários mais utilizados, mas já os técnicos já observaram que até as 16h do domingo não é mais suficiente para atender os ciclistas. “Teremos que conversar com os usuários da via para determinar o novo horário. Mas o aumento no movimento de ciclistas é evidente”, afirma o gerente.

Veja Também