Goiânia comemora independência do Brasil

O evento foi acompanhado por cerca de 10 mil pessoas

Postado em: 08-09-2016 às 06h00
Por: Renato
O evento foi acompanhado por cerca de 10 mil pessoas

Milleny Cordeiro

Em Goiânia, o Dia da Independência, comemorado ontem, 7 de setembro, foi marcado com o desfile cívico-militar na Avenida Tocantins que, de acordo com números divulgados pela Guarda Civil Metropolitana (GCM), foi assistido por cerca de 10 mil pessoas. O desfile iniciou por volta das 09h da manhã e ofereceu ao público mais de duas horas de espetáculo. 
A concentração foi na Praça Cívica, de onde os participantes saíram em direção à Rua 4 e desfilaram pela Avenida Tocantins. A bandeira nacional do Brasil foi hasteada próxima ao Teatro Goiânia, ato acompanhado pela execução do Hino Nacional pela Banda do Exército Brasileiro. Logo após, a música seguiu com a Banda Sinfônica da Polícia Militar de Goiás para acompanhar o desfile da corporação. 

Participantes
Estiveram presentes mais de 2 mil militares. Além da Polícia Militar, o evento contou com a participação da Guarda Civil Metropolitana, do Corpo de Bombeiros, Polícia Científica de Goiás, Orquestra Sinfônica de Goiânia, Guarda Florestal, Guardiões Verde, Banda Marcial de Goiânia, Ordem Demolay e a já citada Banda do Exército Brasileiro. O encerramento ficou por conta dos mais de 700 alunos das escolas municipais e estaduais. 
Um dos momentos que mais encantaram o público, principalmente as crianças, foi a apresentação dos veículos antigos da frota militar. Um helicóptero foi usado no desfile e surpreendeu os presentes. Além disso, motocicletas, jet skis e carros da polícia datados de 1964, 1968 e também de 1989 foram utilizados. 

Continua após a publicidade

Protestos
O desfile cívico-militar que marca o dia 7 de setembro mostrou-se aos manifestantes como o momento propício para chamar a atenção do público aos últimos acontecimentos políticos no Brasil. Durante o evento, dois grupos manifestaram contra o presidente em exercício Michel Temer e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Ricardo Lewandowski. 
Os manifestantes contrários ao governo do presidente em exercício carregavam faixas com os dizeres “nenhum direito a menos!” e “Fora Temer!”. De acordo com os organizadores, participaram do protesto cerca de 200 pessoas; segundo a Polícia Militar foram 70 manifestantes. Integrantes da Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo também estiveram presentes, além de movimentos sociais. Antes de finalizar o ato, o grupo cantou o Hino Nacional, encerrando cada verso com um “Fora Temer!”. 
Sete pessoas também se manifestaram durante o desfile contra o presidente do STF. Para eles, Lewandowski permitiu que a ex-presidenta Dilma Rousseff ficasse habilitada a exercer outros cargos públicos, o que “amenizou” a sua pena. A concentração do grupo ocorreu próximo ao palanque em que a bandeira foi hasteada. Os manifestantes portavam um caixão com os dizeres “prisão em segunda instância”. 

Interferências
Devido à realização do evento, as avenidas adjacentes ao local do desfile sofreram interferências um dia antes, na terça-feira (6), quando o cruzamento da Avenida Anhanguera com a Avenida Tocantins foi fechado para a organização. Os motoristas e outros transeuntes que trafegam pela região tiveram que fazer desvio pela Rua 9, no sentido Centro-Bairro. 
Na manhã de ontem, dois trechos da Rua 4 e os cruzamentos da Avenida Goiás e da Avenida Tocantins com a Paranaíba foram bloqueados para o desfile. Em detrimento dos bloqueios, os ônibus do Eixo Anhanguera tiveram as rotas alteradas e deixaram de atender usuários das plataformas próximas à Avenida Goiás. 18 linhas de ônibus que passam pela Avenida Tocantins também foram alteradas. O movimento só voltou ao normal na tarde de ontem.

Veja Também