MPF/GO oferece denúncia contra envolvidos

Acredita-se que a empresa tenha feito orçamentos inchados para apropriação ilícita de recursos.

Postado em: 13-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Acredita-se que a empresa tenha feito orçamentos inchados para apropriação ilícita de recursos.

Karla Araujo

O Núcleo Público de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) ofereceu denúncia ontem (12) contra 35 envolvidos na Operação Decantação, deflagrada pela Polícia Federal no dia 24 de setembro, que desarticulou uma organização criminosa responsável pelo desvio de cerca de R$ 5,2 milhões em recursos federais a partir da Saneameto de Goiás S.A (Saneago).

O procurador da República Mário Lúcio de Avelar é autor da denúncia e afirma que dirigentes e colaboradores da Saneago são responsáveis por contratar a empresa Naeng Engenharia para dar suporte na elaboração de projetos, composição de orçamentos, avaliação de propostas e exame de licitações. Acredita-se que a empresa tenha feito orçamentos inchados para apropriação ilícita de recursos.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com o procurador, uma auditoria realizada pelo MPF/GO e Controladoria-Geral da União (CGU) nas obras do Sistema de Abastecimento de Água de Corumbá IV e da Ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário do município de Goiânia (Sistema Meia Ponte) aponta que o custo total da obra – ainda não entregue – é de R$ 184 milhões. A execução financeira feita até agora foi de R$ 87 milhões, deste valor o MPF/GO acredita que R$ 12,2 milhões foram desviados. 

Avelar divulgou ainda que entre 2014 e 2015, Saneago iniciou contratos de R$ 1,2 bilhão com recursos repassados pela União. “O mínimo que se espera de uma empresa do porte da Saneago é que tenha competência para realizar orçamentos. Não entendemos o porquê da terceirização do serviço. Sem dúvida, foi a porta de entrada para a organização criminosa que se instalou ali”, diz o procurador. 

José Taveira Rocha, Robson Borges Salazar, Afrêni Gonçalves Leite e Luiz Alberto Rassi estão entre os denunciados pelo MPF/GO. Os envolvidos na Operação Decantação serão investigados por formação de quadrilha, fraude de licitação, peculato, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Veja Também