PM prende, em Goiânia, membro do PCC no Nordeste

Vicente Antônio de Freitas Filho, de 30 anos, é acusado de diversos crimes e era conhecido por agir com extrema violência

Postado em: 16-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Vicente Antônio de Freitas Filho, de 30 anos, é acusado de diversos crimes e era conhecido por agir com extrema violência

A Polícia Militar prendeu nesta quinta-feira (15), em Goiânia, Vicente Antônio de Freitas Filho, de 30 anos. Ele é líder de associação criminosa autonominada Comando Vermelho, no Nordeste do Brasil, e também membro da quadrilha Primeiro Comando da Capital (PCC), na mesma região. A prisão é resultado de atividades de inteligência e da integração de esforços do Pacto Interestadual de Segurança Pública, composto pelos estados que compõem o Consórcio Brasil Central.
Também foram detidos a esposa, Jéssica Andrade da Silva, e Francisco José Costa, que fazia a segurança do criminoso. Há informações de que os três – que usavam nomes e documentos falsos – estariam envolvidos com o tráfico de drogas em Goiânia.
Vicente possui passagens por diversos crimes, como homicídio, roubo, receptação, tráfico de drogas, falsidade ideológica, porte irregular de armas de fogo e formação de quadrilha. Ele também é acusado por extorsão, sequestro e cárcere privado, roubo de cargas e explosão de caixas eletrônicos.
De acordo com as apurações, Vicente é conhecido por agir com extrema violência. Em alguns casos, chegou a decapitar suas vítimas. “É um criminoso da mais alta periculosidade”, afirma o comandante do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva da PM, major Elder Joaquim da Costa.
A prisão foi efetuada após o Setor de Inteligência da Polícia Militar (PM/2) ter recebido informações de que os criminosos estavam em Goiânia. “Fomos informados de que eles já estavam na cidade há alguns dias e, rapidamente, conseguimos localizálos”, relata o tenente-coronel Célio Pereira Bueno – chefe da PM/2.

Inteligência integrada
A partir do Pacto Integrador de Segurança Pública, presidido pelo vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária do estado de Goiás, José Eliton, os estados participantes passaram a contar desde 1º de julho deste ano com a mais moderna e inovadora plataforma do país no que se refere à unificação de informações sobre a atuação de grupos criminosos na região central do Brasil.
Com esse sistema integrado de dados, as forças policiais dos dez estados podem identificar e localizar membros de organizações criminosas e a movimentação que eles fazem entre um estado e outro, planejar o desmantelamento dessas quadrilhas e tirar de circulação pessoas de alta periculosidade, como o líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) do Nordeste do país preso em Goiânia.
Para esse trabalho de cooperação técnica, foi instalado na sede da Secretaria de Segurança Pública e de Paz Social do Distrito Federal um Centro de Inteligência Integrada, que mantém representantes da área de inteligência dos estados num trabalho contínuo de análise dos dados e mapeamento do crime organizado, dentro e fora dos presídios brasileiros. Esse trabalho resultará no maior banco de dados do país contendo informações de cada grupo criminoso e suas ramificações em cada estado e unidades prisionais.
O Centro de Inteligência Integrada reúne os microdados e os fornece às secretarias de Segurança Pública dos estados, que os utilizam para planejar suas operações também integradas. As respostas das forças de segurança são imediatas. Vários grupos criminosos que atuam em crimes de alta complexidade, como os de tráfico de drogas e armas, de roubos de carros e cargas e assaltos a instituições financeiras com uso de armamentos pesados e explosivos, já foram desarticulados pelas forças policiais dos estados do centro do país, depois de instituído o Pacto Integrador de Segurança Pública.

Veja Também